terça-feira, 1 de abril de 2014

Dieta do hCG: não faça!




As dietas da moda sempre surgem ou ressurgem. Mas algumas delas, como a dieta do hCG, jamais deveriam ter sido propostas...

Uma coisa é você fazer dietas de jejum dia sim/dia não, ou comer apenas maçã ou qualquer outra fruta por uma semana (quem consegue fazer isso?); outra coisa é você utilizar um hormônio dentro de um plano para emagrecimento.

E não é um hormônio qualquer, como veremos a seguir, mas um que só está fisiologicamente presente no corpo em quantidades significativas quando mulheres se encontram em período gestacional.


O que é o hCG?

A gonadotrofina coriônica humana, ou hCG, é um hormônio secretado principalmente após a fertilização do óvulo em mulheres. Quando isso acontece, a concentração de hCG no sangue na mulher aumenta consideravelmente. A principal função hormonal do hCG é criar um ambiente favorável para que o corpo lúteo — estrutura celular responsável por auxiliar e favorecer o desenvolvimento fetal — se mantenha no ovário da mulher durante o primeiro semestre de gestação, para que haja produção adequada do hormônio progesterona durante esse período.

Tanto homens como mulheres não grávidas também produzem pequenas quantidades de hCG, em concentrações que vão de não detectáveis até, normalmente, 5 mUI/mL. Mulheres grávidas, por sua vez, podem atingir níveis de hCG no sangue por volta de 300.000 mUI/mL.

O hCG é utilizado como marcador para dizer ou não se uma mulher está grávida, podendo ser mensurado no sangue ou na urina — ambos são bastante efetivos. Os próprios testes de gravidez vendidos em farmácias funcionam a partir da mensuração dos níveis de hCG na urina da mulher.

Devido ao importante papel que o hCG exerce sobre o desenvolvimento do feto, esse hormônio é às vezes utilizado em mulheres que tentam ter filhos mas que já perderam bebês em gestações anteriores. Entretanto, as evidências científicas que corroboram o uso do hCG para essa finalidade ainda são questionáveis [1].


Como funciona a dieta do hCG?

A dieta do hCG não é nova. Ela foi proposta ainda nos anos 1950 pelo médico britânico Albert Simeons, que já dizia que os pacientes que faziam uso dessa dieta perdiam uma proporção maior de gordura do que músculos durante o processo, mobilizando gordura principalmente da região abdominal, quadris e coxas, além de sentirem menos fome e irritação durante a restrição de calorias imposta pela dieta [2].

Ela funciona da seguinte forma: você ingere ou injeta o hCG por alguns dias, normalmente por 25 a 40 dias, e “fecha a boca”. Isso mesmo, você deve seguir uma dieta extremamente hipocalórica de apenas 500 kcal/dia e, além disso, buscar outras formas de gastar calorias (atividade física consumindo apenas 500 kcal?!). Seria esse um comportamento semelhante ao de alguns transtornos alimentares?

Alguns relatos na internet sugerem que a forma oral (sublingual) do hCG, a qual o paciente ingere através de gotas, pode nem ter o mesmo suposto efeito que a forma injetável do hormônio.

De qualquer maneira, será que a perda de peso vem a partir da administração do hCG ou da enorme restrição calórica ao qual o paciente é submetido? Pra se ter uma ideia de quão severa é a restrição energética, nem mesmo pacientes com obesidade mórbida são recomendados a consumir menos de 800 kcal/dia.

Os defensores do hCG dizem que esse hormônio é capaz de duas coisas que auxiliam ainda mais na perda de peso: 1) aumentar a mobilização de gordura corporal para que o organismo a utilize como fonte de energia; e 2) diminuir a sensação de fome que uma dieta tão restrita invariavelmente produz. Mas baseado no que eles dizem isso?


O que as evidências científicas dizem?

Não adianta nem procurar por evidências científicas acerca do efeito positivo do hCG na diminuição da sensação de fome, porque não há. Os estudos disponíveis sobre essa dieta dizem que o hCG não exerce efeito algum sobre o apetite [3,4]. Você pode até ouvir, a partir de relatos de pacientes que se submeteram a esse processo, que a redução na sensação de fome ocorre, assim como você também pode ouvir o contrário, ou seja, que os pacientes sentem fome mesmo utilizando o hCG. De qualquer forma, a supressão do apetite por meios medicamentosos ou hormonais é algo completamente não fisiológico, e quem sabe quais são os possíveis efeitos deletérios desse tipo de prática em curto ou longo prazo.

Em relação ao aumento na mobilização de gordura corporal, também não há qualquer estudo que evidencie isso. Provavelmente talvez nem existam mecanismos fisiológicos plausíveis que poderiam explicar tal efeito. Mas só porque não há evidências de maior mobilização de gordura, isso não quer dizer que não aconteça.

Ok. Então os pacientes que usam hCG perdem mais peso que aqueles que não usam?

Não...

Uma meta-análise de 24 estudos que avaliaram o efeito do hCG sobre a perda de peso, comparando pacientes que usaram o hormônio contra pacientes que não usaram, concluiu [3]:
“We conclude that there is no scientific evidence that HCG causes weight-loss, a redistribution of fat, staves off hunger or induces a feeling of well-being. Therefore, the use of HCG should be regarded as an inappropriate therapy for weight reduction [...]”
Em tradução livre:
"Nós concluímos que não há evidências científicas que demonstrem que o hCG causa perda de peso, redistribuição de gordura, reduza a fome ou induza sensação de bem-estar. Portanto, a utilização do hCG deve ser considerada como uma terapia inadequada para a perda de peso [...]"

Problemas com o hCG

Diversas células cancerígenas produzem hCG, sendo que a detecção de concentrações aumentadas desse hormônio podem indicar a presença de câncer antes mesmo de alterações histológicas ou clínicas dessa patologia [5]. Em muitos casos, a detecção de níveis elevados de hCG no sangue indicam câncer em estágio avançado e um prognóstico ruim para o paciente [5,6,7].

Não se sabe exatamente porque há aumento na produção de hCG nos mais diversos tipos de câncer. Entretanto, a principal hipótese é de que o hCG seria um fator consideravelmente importante para a promoção do desenvolvimento tumoral, facilitando o crescimento e inibindo a morte de células cancerígenas [7,8].

Se o hCG tem esse potencial de favorecer o desenvolvimento de tumores, seria uma boa ideia alguém ingerir ou injetar ainda mais hCG em seu corpo? Eu arriscaria um “não” para essa pergunta... Sem contar outros possíveis efeitos colaterais de longo prazo que ainda são desconhecidos, mas que podem existir.

Com hormônios não se brinca.


Considerações finais

O hCG promove perda de peso ou de gordura adicional? Não... O hCG reduz a sensação de fome? Não... O hCG melhora a irratabilidade ou aumenta a sensação de bem-estar? Não... O hCG pode favorecer o desenvolvimento de câncer? É bem possível que sim.

Com nenhum benefício e a possibilidade de um sério efeito adverso, por que alguém deveria apostar suas fichas nesse hormônio? Talvez seja no mínimo irresponsável por parte de profissionais de saúde recomendarem ou endossarem o uso de hCG para a perda de peso.

Uma dieta de 500 kcal/dia já não é nada saudável, ainda mais junto com um hormônio.

Dieta do hCG: não faça! Nunca adote estratégias "milagrosas". Procure um nutricionista competente que possa te acompanhar e orientar a perder peso de forma saudável e sustentável. Adote um estilo de vida saudável e coma comida de verdade.


---
Posts relacionados:


***
Se você vê valor no meu trabalho, considere fazer uma contribuição.




Referências

1. Morley LC, et al. Human chorionic gonadotrophin (hCG) for preventing miscarriage. Cochrane Database Syst Rev. 2013;1:CD008611.

2. Robb-Nicholson C. By the way, doctor. I've been trying to lose weight for a long time and nothing seems to work. What do you know about the HCG diet. Harv Womens Health Watch. 2010;17(9):8.

3. Lijesen GK, et al. The effect of human chorionic gonadotropin (HCG) in the treatment of obesity by means of the Simeons therapy: a criteria-based meta-analysis. Br J Clin Pharmacol. 1995;40(3):237-43.

4. Lovejoy JC, Sasagawa M. An unfortunate resurgence of human chorionic gonadotropin use for weight loss. Int J Obes. 2012;36(3):385-6.

5. Stenman UH, et al. Human chorionic gonadotropin in cancer. Clin Biochem. 2004;37(7):549-61.

6. Cole LA. hCG, the wonder of today's science. Reprod Biol Endocrinol. 2012;10:24.

7. Cole LA. Biological functions of hCG and hCG-related molecules. Reprod Biol Endocrinol. 2010;8:102.

8. Banerjee P, Fazlebas AT. Extragonodal actions of chorionic gonadotropin. Rev Endocr Metab Disord. 2011;12(4):323-32.



192 comentários:

  1. Eu fiz a dieta do HCG e recomendo. De tudo que já havia tentado foi a única coisa que para mim resolveu. Só corrigindo uma coisa, quem faz a dieta do HCG não pode fazer exercicios. Vc deveria assistir a palestra do Dr. Lair Ribeiro no youtube e talvez mude sua visão a respeito dessa dieta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thais.

      Em relação ao que você comentou sobre exercícios, não tem "correção". A recomendação à prática de atividade física depende do médico que está realizará seu acompanhamento, sendo que médicos diferentes seguem protocolos diferentes em alguns aspectos, incluindo forma de administração, dose e outras recomendações.

      No final, a dieta do hCG funciona sim, e ninguém vai contestar isso. A questão é que ela funciona não por causa do hormônio, mas sim pela restrição alimentar à qual os pacientes são submetidos. Nesse cenário, a administração do hormônio não aumenta a perda de gordura, não reduz o apetite, não preserva a massa magra e não faz leva a nenhum outro "suposto" benefício dito pelos médicos e pacientes que defendem esse tipo de tratamento.

      A ciência mostra tudo isso claramente: usar ou não usar o hCG, num contexto de uma dieta extremamente hipocalórica, leva exatamente aos mesmos resultados. Não estou desconsiderando a prática clínica, até porque ela pode ser extremamente importante para se determinar a real (in)eficácia de um tratamento.

      Me arrisco a dizer que, caso você seguisse exatamente o mesmo protocolo que seguiu quando fez a dieta do hCG, mas sem usar o hCG, os seus resultados seriam exatamente os mesmos.

      Por esse motivo, por que usar um hormônio que não tem efeito? Ainda mais: por que usá-lo sendo que sabemos que pode existir uma associação do hCG com alguns tipos de câncer? Simplesmente não faz sentido... Quer dizer, "faz sentido" para enriquecer ainda mais alguns "profissionais" e iludir as pessoas.

      Quer comer apenas 500 kcal/dia? À vontade. Só não diga que o efeito foi do hCG.

      Nem me arrisco a ver vídeos do Lair Ribeiro; prefiro resguardar espaço no meu cérebro para coisas mais úteis. Ele mesmo defende que devemos beber 'água alcalina' como forma de aumentar nosso pH sanguíneo. BALELA. Te convido a ler meus 3 textos sobre o assunto para ver que, como exemplo das recomendações inconsistentes desse cara, não tem fundamentação alguma.

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/03/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de.html

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/03/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de_24.html

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/04/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de.html

      Excluir
    2. Nenhum médico recomenda atividade física nessa dieta, inclusive é contraindicado. Sobre comer 500kc por dia, sem o hormônio é quaae impossível, e a perda de massa magra é alta. Não é legal ficar ingerindo hormônios? Concordo contigo que não é, mas para alguém que está desesperado e considerando fazer bariatrica essa dieta é muito melhor.

      Excluir
    3. Olá, Eu.

      Nem eu nem você podemos falar por todos os médicos. O trecho que se refere à prática de atividade física, no texto, é baseado no fato de que já vi na prática clínica, e em relatos na internet, médicos que recomendaram a seus pacientes a prática de atividade física. Se a maioria dos médicos não está recomendando atualmente, menos mal.

      Vou ser repetitivo mais uma vez, justamente porque tá todo mundo falando a mesma coisa: a sensação de fome e a perda de peso (massa magra e massa gorda) são as mesmas com ou sem o hCG. Não sou eu que estou dizendo isso, são os estudos. Caso você não esteja familiarizado com a literatura científica, passe os estudos para um médico de confiança ou qualquer outra pessoa com experiência em leitura de estudos da área de saúde (de preferência que sejam "neutros" em relação ao uso do hCG).

      Excluir
    4. Errado para o autor do tópico ai encima. A dieta do HCG funciona mesmo para quem come até 1500 calorias por dia, isso inclui fazer exercícios moderadamente também. Basta ter uma dieta saudável, ingerir carboidratos complexos, menos açúcar, muitas frutas, tirando o refrigerante, em fim. Para quem tem uma suplementação boa essa dieta é excelente.

      Excluir
    5. Fiz a dieta com HCG e sem HCG. Posso dizer que sim, o HCG tirou minha sensação de fome, não tive cansaço físico, etc. fazendo a dieta sem o HCG, também perdi peso, mas senti muita fome e cansaço.

      Excluir
    6. Olá, Caroline.

      Não duvido dos seus relatos. Porém, como eles são contrários aos que os estudos mostram (de forma consistente e clara), é muito provável que a diferença que você notou entre fazer a dieta com e sem o hCG seja simplesmente um efeito placebo. Caso ainda não tenha feito, leia os comentários anteriores sobre isso (utilize o Ctrl+F pra facilitar a busca).

      Excluir
    7. Tbem fiz a dieta do hcg e recomendo a todas as pessoas obesas... Dps de mtas tentativas, médicos, remédios etc. Fiz 40dias e perdiperdi 28k,todos estão maravilhados.
      EU RECOMENDO A TODOS!!!

      Excluir
    8. João Gabriel. Você está correto em td que diz. Conheço pessoas que fizeram essa dieta, eu as treinei e percebi uma profunda queda no rendimento, nos estado físico e psicológico. Não vale a pena essa dieta!

      Excluir
    9. É claro que eu concordo!

      O importante é que as evidências estejam disponíveis para que qualquer um possa tomar decisões informadas.

      Excluir
    10. Olá, concordo com a Thais. Fiz a dieta de 21 dias com hcg, e posso dizer, nao senti fome alguma, segui à risca, e não tive problemas de concentração nem nada. Esse era um dos meus receios, porque além de tudo tenho hipoglicemia, e pensei que teria algum problema. Não tive nada! Mantive a massa magra. VC deveria sim, ver a palestra de Dr Lair Ribeiro, e eu NUNCA vi um médico recomendar exercícios durante o tratamento. O meu mesmo me informou que como há restrição calórica, nao podemos fazer exercícios e gastar aquilo que não temos p dispor. Em relação a causar câncer, vc mesmo diz em seu artigo que é um das "hipóteses", e mais à frente diz que "Se o hCG tem esse potencial de favorecer o desenvolvimento de tumores...". Ora, se é uma hipótese, vc não pode dizer que ele tem esse potencial, concorda?! Eu sinto desapontá-lo, mas eu tentei fazer a mesma dieta de 500 calorias sem o hcg, e advinhe? Não perdi muita coisa! Senti uma baita fome, fiquei de mau humor, etc. E isso não existe quando se aplica o hcg. Eu usei, recomendo, e vou usar novamente se precisar. Já ia me esquecendo: depois do término das injeções, senti que meu paladar havia mudado, não tinha vontade de comer nada que comia antes (pizza,sanduíches,etc), sentia vontade de comer uma boa salada e tudo agora é com adoçante, além de que não recuperei nenhum quilo perdido. Creio que isso é algo bom, não?!

      Excluir
    11. Olá, Angel.

      Em relação a recomendar exercícios, teve até mesmo um médico aqui nos comentários do blog (desse ou do outro post sobre hCG) que falou sobre colegas que orientam o paciente a praticar exercícios. Mesmo que você não conheça ou que não seja uma recomendação tão frequente, ela existe. Além disso, vale ressaltar que o argumento usado pelo seu médico, de restrição calórica, não necessariamente implica que a pessoa teria que se abster da prática de exercícios.

      Sobre o câncer, é sim uma hipótese. E é também por isso que eu começo a segunda frase que você citou com um "Se", que é um termo que claramente explicita uma situação hipotética, ainda mais considerando o parágrafo anterior. Retirar qualquer frase de contexto pode aparentemente, ou literalmente, alterar seu significado -- como você, mesmo que sem querer, acabou fazendo. Além disso, falar ou não falar em "potencial" não tem nada a ver com a questão de ser uma hipótese, que na verdade vai ser caracterizada pelo significado que a frase e o contexto como um todo passam, e não por palavras específicas.

      A questão de não sentir fome ou qualquer outro efeito negativo provavelmente é decorrente de efeito placebo. Dê um Ctrl+F para pesquisar o termo caso queira ler o que falei sobre isso em diversos outros comentários.

      E se você acha que os resultados foram positivos e valeu a pena, ótimo para você. O meu papel aqui não é julgar nada disso, mas sim mostrar o que a ciência fala sobre o que podemos fazer para melhorar nossa alimentação e nossa saúde. No caso do hCG, a ciência mostra claramente que ele não traz nenhum benefício quando comparado a tratamentos com placebo. Vocês que defendem o hCG precisam entender que o objetivo não é “atacar” quem prescreve ou quem usa o hCG, mas simplesmente informar as pessoas que querem ser informados sobre o que os estudos realmente têm a dizer sobre o tema.

      Excluir
  2. Esto fazendo uso com acompanhamento médico super indico desde que seja feito com o acompanhamento médico, questão da enibir o apetite é que o HCG quebra as células de gordura que o corpo não precisa e o organismo utiliza essa gordura como alimento, sendo assim o organismo está se alimentando. Quanto ao exercício fui orientado a não fazer pois se fizer o organismo não usar esta gordura para reservar ela para a hora do exercício.
    Isso foi pesquisado por 40 anos não é um maluco que está dizendo isso tudo, tem estudos e o principal se está em dúvida procure um médico. Em 10 dias sai de 85kg para 78 e não perdi massa magra quer dizer não perdi muito um pouco é inevitável. Super indico com acompanhamento. Abraços Cleber Pires. Instagram: cleberrpires

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cleber.

      Para você, repito basicamente o que disse acima para a Thais. O que vocês não estão entendendo é que usando ou não o hCG, o resultado é o mesmo. Se você não estivesse usando o hCG você perderia os mesmos 7 kg durantes esses 10 dias. E aproveito para dizer o seguinte: boa parte desse peso que você perdeu é de água. Isso é inevitável. Boa parte do peso perdido em qualquer dieta hipocalórica, com ou sem o uso do hCG, vai ser de água. A maior parte do peso que você perdeu foi gordura, claro; mas uma parte foi água.

      E não, não existem estudos mostrando efeitos adicionais benéficos do uso do hCG durante a perda de peso. Não amplifica a perda de peso, não minimiza a perda de massa magra e não reduz o apetite.

      Não, o hCG não "quebra as células de gordura que o corpo não precisa"; e não, o organismo não "utiliza essa gordura como alimento". Eu desafio você, seu médico ou qualquer pessoa a mostrar evidências de que o hCG possui essa capacidade de "quebrar" células de gordura.

      Fique por perto durante as próximas semanas. Estou preparando um texto especial para vocês que ainda acreditam que o hCG é mágico. A única diferença entre usar o hCG e não utilizá-lo é o preço (absurdo) que se paga por esse "tratamento milagroso".

      Excluir
    2. Se ele está fazendo acompanhamento médico e está afirmando que não perdeu massa magra provavelmente ele está fazendo exame de bioimpedancia para verificar os resultados..ou seja, vc nao precisa repetir o que vc respondeu p Thais, pq vc nao respondeu de acordo c o comentário do Cléber..Todos os endocrinologistas hoje em dia trabalham com exame de bioimpedancia..nao seja repetitivo..Eu estou fazendo o hcg, e posso afirmar que ele realmente tira a fome..Eu sempre tive dificuldades de seguir uma dieta de 1200 calorias, imagine 500kcal? jamais faria sem o hcg..E quer dizer q as grávidas q possuem uma alta quantidade de hcg no organismo estao correndo serios riscos de embolia pulmonar, avc e trombose? prefiro passar 40 dias com uma pequena quantidade de hcg no organismo do que 9 meses entao..Essa industria farmaceutica eh uma piada! conheço inumeras pessoas que estão se beneficiando deste tratamento e detalhe, nao voltam a engordar..

      Excluir
    3. Olá, Suzica.

      A discussão continuou nos comentários abaixo, então por favor leia-os caso ainda não o tenha feito.

      Não acho que estou sendo repetitivo. E se estou, é porque os argumentos utilizados são os mesmos, e por isso as minhas respostas também serão.

      O seu argumento de fome numa dieta de 1200 kcal e numa dieta de 500 kcal parece lógico, mas infelizmente não é. Nosso corpo não funciona dessa forma. Não é "quanto menos kcal eu comer, mais fome vou sentir". E para isso te dou um simples exemplo prático. Nos últimos dias estive praticando jejum por 21h, todos os dias. A minha fome era quase zero, mesmo nos horários das refeições. Nesses dias, eu conseguiria tranquilamente consumir 400 ou 500 kcal e não sentir fome alguma. Outro exemplo: existem estudos que comparam dietas com a mesma quantidade de calorias, mas com composição diferente de carboidratos, proteínas e gorduras, e o que se observa é que dietas com composições diferentes geram resultados diferentes na saciedade.

      Então comparar a fome numa dieta de 1200 ou 500 kcal a princípio não é tão relevante. Você não pode usar isso como argumento de que a sua menor fome na dieta com 500 kcal é um efeito do hCG.

      Em relação às grávidas, é preciso levar em consideração que elas estão em um estado fisiológico muito diferente do de mulheres não grávidas ou de homens. O hCG possui funções específicas para o preparo e curso da gestação, e por isso numa grávida ele exerce suas ações normais. Porém, se você não tem os estímulos necessários para "guiar" o hCG, justamente quando você o administra em uma pessoa que não estaria secretando esse hormônio, ninguém sabe o que vai acontecer.

      Perceba que em nenhum momento eu disse que o uso do hCG vai fazer mal. Apenas levantei a hipótese de que a presença de um hormônio -- que regula uma série de processos fisiológicos, assim como qualquer hormônio -- pode gerar um risco de desenvolvimento de algumas doenças. Para fazer um paralelo, podemos falar do uso de estrógenos sintéticos (bioidênticos ou não) em mulheres pós-menopausa. Pense numa mulher antes da menopausa: ela passou dezenas de anos exposta aos hormônios femininos, como os estrógenos. Quando entra na menopausa, a produção desses hormônios cai drasticamente, e alguns sintomas surgem devido a essa queda nos níveis de estrógenos. Várias mulheres decidem, portanto, fazer a reposição hormonal. Parece algo sem problema algum, mas hoje já sabemos, através de estudos do tipo ensaio clínico (padrão ouro para se determinar causa e efeito) que fazer a reposição hormonal aumenta o risco de câncer de ovários nessas mulheres. Ou seja, você está usando um hormônio num momento em que o corpo da mulher naturalmente tinha parada de produzi-lo; e mesmo a mulher tendo sido exposta a esse hormônio por toda a sua vida, o seu uso "fora do tempo certo" acaba aumentando o risco de doenças porque altera a fisiologia da mulher naquela fase da vida dela. A mesma lógica pode se aplicar ao hCG: você está administrando um hormônio a pessoas que não deveriam estar produzindo-o naquele momento; por isso falo sobre a possibilidade de haver riscos com o uso do hCG.

      Mas cada um é livre para tomar suas próprias decisões. Meu dever como pesquisador e profissional de saúde é falar sobre o que as evidências científicas mostram sobre riscos e benefícios.

      Excluir
    4. João Gabriel Marques, concordo com seus comentários

      Excluir
  3. At. João bom dia!
    Na verdade eu estava fazendo uma dieta antes sem uso do Hcg e não consegui perder muita coisa pq nessa dieta de fato perdi somente água! O HCG ele atua na gordura que está estacionado em nosso corpo quebra essas células de gordura e o corpo usa essa gordura como alimento. Quanto ao estudo existe sim não sei se foi comprovado cientificamente, eu estou fazendo e digo funciona sou uma pessoa totalmente ativa academia 4 x semana sou corredor de moto e preciso chegar em 75kg tentei muitas coisas e este tratamento está me dando o resultado que preciso. Claro que não é mágica depende muito do organismo do paciente no meu caso quando comecei estava. No o imc 19 duas semanas estou há com 16.
    Forte abraço...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cleber, muito obrigado por manter o debate ativo. É muito ruim quando as pessoas aparecem aqui, comentam, e depois não retornam.

      Duas considerações em relação ao seu caso:

      1) Não é possível comparar a dieta que você fez anteriormente à dieta que está fazendo atualmente com o uso do hCG. É claro que não tenho essa informação, mas é muito, muito provável que a dieta que você estava fazendo antes não era tão restritiva em termos de calorias como a que você está fazendo atualmente. Se você estivesse fazendo, nesse momento, exatamente tudo que você está fazendo, com exceção do uso do hCG, seus resultados provavelmente seriam os mesmos. Não sou eu que estou dizendo isso, mas sim os resultados dos estudos científicos.

      2) Você está num momento diferente, onde alterações fisiológicas que ocorrem com o tempo podem ser responsáveis por gerar resultados diferentes em relação ao efeito que dietas para a perda de peso podem ter sobre o seu organismo. A mesma dieta, para um mesmo indivíduo, normalmente não vai ter o mesmo resultado se aplicada em dois momentos distintos. Se já é difícil comparar uma mesma dieta, em momentos diferentes, num mesmo indivíduo, mais difícil ainda é comparar dietas diferentes. É uma comparação infactível.

      E mais uma coisa:

      Mesmo que seu médico ou qualquer outra pessoa tenha falado que o hCG atua pelo mecanismo que você citou, a não ser que você apresente pelo menos um estudo científico que mostre isso, você não pode dizer que é verdade. O desafio permanece.

      Excluir
    2. Acho que você precisa estudar um pouquinho mais. http://www.drrondo.com/tratamento-hcg/

      Excluir
    3. Olá.

      Não sei se sou eu que precisa estudar um pouco mais. Mas sei de uma coisa: apontei todas as (grandes) falhas desse texto no outro post que escrevi sobre o hCG.

      Preste bem atenção nos pontos que eu levantei que você vai entender por que esse texto que você citou não foi bem embasado. Se ainda não leu o meu outro post, fica a sugestão:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/07/o-fantasma-do-hcg-continua-vivo.html

      Excluir
  4. http://youtu.be/RihSzclfdnw

    Assista é um médico falando, foi estudado por mais de 40 anos.
    Enfatizo tem que ser feito acompanhando de seu médico eu faço exames praticamente toda semana para acompanhar o desenvolvimento.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Lair Riberio fala muita coisa errada, sobre vários assuntos. Sugiro que você veja (se ainda não viu) algum vídeo dele sobre pH sanguíneo. Se você simplesmente assistir ao vídeo dele falando sobre o assunto, realmente parece algo a se preocupar:


      https://www.youtube.com/watch?v=of-jNFO_4PQ


      É um vídeo curto. Depois de assistir, leia os textos que escrevi sobre o assunto e você verá que tudo que ele fala sobre pH não faz o menor sentido:


      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/03/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de.html

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/03/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de_24.html

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/04/o-mito-do-ph-alimentacao-e-capaz-de.html


      O que quero dizer é que qualquer um pode falar qualquer coisa. Palavras não provam nada, a não ser que seja alguém dando alguma palestra e que, nessa palestra, o apresentador mostre slides contendo a(s) referência(s) sobre o que ele está falando. Se você falar e não mostrar de onde você tirou sua informação, ela jamais poderá ter grande credibilidade. E certamente não terá validade científica até que você apresente de onde foram tirados os dados aos quais a pessoa falando está se referindo.

      O que o Lair Ribeiro fala, nesse e em outros vídeos, não bate com o que a ciência diz.

      Abraço.

      Excluir
    2. Cara, não sei se tu é pesquisador mesmo ou um representante da indústria farmacêutica, mas dizer que o Lair Ribeiro não bate bem da cabeça e fala muita coisa errada só pode ser piada. Bem, mas o que importa é que eu pude comprovar, também como pesquisador que sou, que 5 dos protocolos que ele sugeriu já foram aplicados por mim e deram excelentes resultados, então permita-me te dizer que você é que está errado, pois muitas vezes esses estudo são patrocinados pelas indústrias da doença. Então prefiro confiar mais em um cara cujos protocolos já conferi e confirmei a sua veracidade. Meu pai de 75 anos com esclerose múltipla está quase curado, minha avô com 96 anos com alzheimer está quase curada, minha esposa com depressão clínica também está curada, minha gastrite (2 anos tratando com omeprazol) está curada. Então querido, ao meu ver, os protocolos do Dr. Lair funcionam e muito bem.

      Excluir
    3. Olá, Cesar.

      Como eu poderia ser um representante da indústria farmacêutica se estou indo contra o uso do hCG? Ah, eu poderia ser de outra indústria, né? Poderia ser a favor de outros medicamentos e por isso estaria falando mal do hCG, né? Claro que não... Estou simplesmente mostrando o que a literatura científica diz sobre o hCG. Seria um prazer inclusive falar mal de qualquer outra droga já criada para "tratar" a obesidade; NENHUMA possui efeitos clinicamente significativos sobre a redução da gordura corporal ou do peso.

      Em nenhum momento eu falei que o Lair Ribeiro "não bate bem da cabeça". Pode voltar lá no meu comentário para conferir. O que eu disse é que o Lair Ribeiro fala muita coisa errada sobre muita coisa. Isso não quer dizer que tudo que ele fala está errado; muito pelo contrário, devem ter várias coisas que ele fala que estão certas, mesmo porque até os profissionais de saúde menos atualizados falam coisas certas, e ele -- apesar de falar besteiras -- certamente está mais atualizado que a maioria dos profissionais. Mas novamente citarei exemplos de casos que ele fala coisa errada: alimentação afeta o pH e você pode beber água alcalina pra corrigir o pH e prevenir doenças; hCG funciona; você pode usar tintura de iodo para remover agrotóxicos dos alimentos... Nenhuma dessas alegações têm evidências científicas para embasá-las. NENHUMA.

      E eu também nunca disse que o hCG não funciona. O que eu falo é que o hCG não traz nenhum efeito adicional à dieta hipocalórica. Simples assim. E pelo que você está falando, você não tem como comprovar que foi o hCG que deu resultado para seus pacientes. Você não tratou um grupo com placebo e um outro grupo com hCG. Você só usou o hCG e ele funcionou. Nos estudos, o hCG funciona, mas só porque ele está junto de uma dieta hipocalórica. Se o hCG faz tanto milagre, por que você não o testa em si mesmo? Sugestão: engorde alguns quilos, faça uma dieta normocalórica ou hipercalórica e use o hCG pra ver se você vai perder peso. Esse tipo de protocolo é o único que seria capaz de comprovar que o hCG leva à perda de peso independente do consumo energético.

      É muito simples. A literatura é muito clara em mostrar que o hCG não traz efeitos adicionais na perda de peso. E a prática clínica não serve para contrastar esse fato, justamente porque não existe grupo controle. Você só pode atestar o efeito de um tratamento se ele for comparado a um grupo controle.

      Mesmo sendo um cientista você ainda quer usar evidência clínica como evidência científica? Você sabe o que é um ensaio clínico? Não seja cego ao que você quer acreditar; esteja aberto a ver o que a ciência diz.

      Você é pesquisador? Me passe por favor o seu Lattes? Gostaria de ver com que tipo de pesquisa você trabalha.

      Enquanto isso, sugiro as leituras:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/07/o-fantasma-do-hcg-continua-vivo.html

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/05/vies-de-confirmacao-nutricao.html

      Excluir
    4. Virei seu fã João Gabriel Marques. Infelizmente não escrevo bem como você, mas eu sempre falava para as pessoas que as vezes o Lair Ribeiro “viajava nas ideias”, agora estou enviando o link do seu site para algumas pessoas que idolatravam o Lair Ribeiro.

      Excluir
    5. Pois é, Alexandre. Infelizmente ainda falta senso crítico pra muita gente, principalmente para tentar ver e ouvir mais de um lado das coisas.

      Obrigado pela leitura!

      Excluir
  5. Olá João, não sei se está dentro do estudo que fez sobre HCG, mas estou apresentando baixa produção de testosterona, tenho 29 anos, fiz algumas pesquisas que indicam que o uso de HCG por 3 dias pode restaurar uma boa produção de testosterona em homens, sabe me informar se essa parte é verdadeira?

    Minha produção de testosterona tendia a variar entre 400 e 650, agora está em 240 e sinto bastante desanimo com tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, BIGBRUNO.

      Existem boas evidências de que a terapia com hCG pode sim restaurar níveis de hCG.

      Os estudos que demonstram isso foram feitos todos com populações que já possuíam alguma doença (hipogonadismo, azoospermia etc.) ou condição clínica (queda de testosterona induzida pela idade, ou seja, idosos) específica. Como não sei a possível/provável causa da queda dos seus níveis de testosterona, fica um pouco mais difícil dizer se o hCG realmente seria efetivo. Por outro lado, o valor de 240 que você relata é realmente baixo, e por isso existe sim uma boa possibilidade do hCG ajudar a elevar seus níveis de testosterona.

      Algumas ressalvas. Não deixe de tentar descobrir a causa, porque só assim é possível determinar a melhor forma de tratamento. E é claro que isso sempre deve ser feito com o acompanhamento de um médico competente, já que não é uma tarefa fácil.

      Atividade física, principalmente anaeróbia e de força (como musculação) podem ajudar a aumentar os níveis de testosterona. Sobrepeso e obesidade podem contribuir para a redução na testosterona. Se alimente bem (comendo comida de verdade), perca peso (se for necessário) e pratique musculação (se ainda não o fizer).

      Além disso, lembre-se sempre de avaliar os níveis de TESTOSTERONA LIVRE e não apenas de TESTOSTERONA TOTAL. Já tive paciente com testosterona total de aproximadamente 400 que, ainda assim, tinha níveis normais de testosterona livre. E mesmo assim, simplesmente ao perder peso, praticar musculação e se alimentar melhor (bem melhor) voltou para níveis de testosterona total de 900! Sem usar hCG, reposição hormonal etc.

      Excluir
    2. não vou dar palpite mas gostaria q joao gabriel assistisse este videos de dois médicos falando sobre remédios off label e eles defendem o hcg http://www.youtube.com/watch?v=kHFexWTpwRU
      OBS: SÓ O JOÃO GABRIEL NÃO TODOS Q ESTÃO NESTA CONVERSA O VÍDEO É MUITO BOM E TIRA MUITAS DUVIDAS

      TODO O VÍDEO É BOM MAS O MAIS INTERESSANTE COMEÇA AOS 20 MINUTOS

      Excluir
    3. Olá, Eric.

      Sito informar, mas os médicos em questão não são os melhores para serem exemplos de qualidade da informação, principalmente no que diz respeito ao hCG.

      Leia o meu texto mais recente sobre o hCG que você vai entender do que estou falando. Mas, por favor, leia com muita atenção:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/07/o-fantasma-do-hcg-continua-vivo.html

      E ainda tem outra: falar todo mundo pode falar. Só que quando alguém fala, num vídeo, por exemplo, não tem como citar referências científicas. Então, teoricamente, qualquer um pode falar o que quiser, justamente porque não tem como provar ou refutar o que a pessoa está falando. Mas quando você lê algo escrito, você facilmente consegue refutar (ou não) o que o autor escreve.

      O texto para o qual eu coloquei o link mostra claramente como eu consigo refutar tudo que o Victor Sorrentino (médico do vídeo que você postou), e outros médicos, dizem sobre o hCG.

      Excluir
  6. Bom vamos aos relatos, Sou farmacêutica formada a mais de 15anos, fiz um estudo do HCG para divulgação medica e como estava com obesidade mórbida resolvi testar a dieta.
    O resultado foi surpreendente. Fizemos eu e uma amiga minha. Eu dos 112kgs que tinha hoje estou com 76 e minha amiga e 130 esta com 90kgs. Portanto a dieta funciona sim. O HCG não deixa o corpo eliminar a gordura essencial ao corpo e sim a gordura "extra". Logico que a força de vontade tambem ajuda. MAs já tinha feito varias outras dietas e a unica que deu resultado é essa.
    Quanto a atividade física realmente não pode ser feita. Se for feita deve ser leve como caminhadas de no máximo 30min. Qualquer prescritor que indica HCG sabe disso.
    A dieta hipocalórica ajuda sim e é rica em proteínas.
    Só mais uma informação. Eu ainda sou ovolactovegetariana. E mesmo sem ingerir proteínas da carne minha saúde está e ficou perfeita.
    Estava com pressão alta e inicio de diabetes pela obesidade. Hoje não mais.
    Portanto o uso off label de HCG é valido sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pri.

      Vou repetir mais uma vez. Relatos de que a dieta do hCG funcionou com você, ou com qualquer outra pessoa, no final significam quase nada. Enquanto não houver evidências científicas mostrando que ela funciona, não é um tipo de tratamento que pode ser recomendado. Existem inúmeras formas de perder inclusive mais peso do que o que você relata (e de forma até mais fácil e sem efeitos colaterais). O que aconteceu com você não é generalizável pra ninguém além de você mesma. O mesmo vale para a sua amiga.

      Ser ou não ser vegetariana também não vem ao caso, uma vez que nem foi discutida a questão das proteínas (a não ser pelo seu próprio comentário).

      Em relação à pratica de atividade física, um médico aqui mesmo nos comentários relatou que existem profissionais que indicam sim a prática de exercícios, assim como eu mesmo já pude constatar a partir da prescrição de médicos que eu conheço.

      A normalização da hipertensão e resistência à insulina foram decorrentes principalmente da perda de peso. Ou seja, aconteceria com qualquer tipo de estratégia que levasse à perda de peso.

      O uso do hCG é permitido, mas ser "valido" ou não vai depender da visão de cada pessoa. Profissionais de saúde deveriam se basear em evidências científicas para embasarem suas condutas. No caso do hCG, não é que nunca estudaram o hormônio para ver se ele oferece benefícios durante a perda de peso. Se nunca tivessem estudado e ele realmente mostrasse benefícios na prática, seria ok utilizá-lo, desde que o produto não oferecesse qualquer risco ao paciente. Porém, o hCG já foi extensamente estudado e demonstrado como não efetivo.

      A ciência está aí; veja a realidade como preferir.

      Excluir
    2. Parabéns PRI CACOLA, MEU PESO ERA 107K, E EM 40DIAS CAIU P 74K.NCA ESTIVE TAO FELIZ É GOSANDO DE PLENA SAUDE.

      Excluir
    3. JOAO GABRIEL.. EVIDENCIAS CIENTIFICAS VC ENCONTRA CENTENAS DE MILHARES NO GOOGLE ACADEMICO SOBRE DIETA HCG..( VC CONHECE O GOOGLE ACADEMICO? ) FAÇA A BUSCA EM PORTUGUES .. EM INGLES E EM OUTRAS LINGUAS.. E IRA SATISFAZER SUA SEDE POR EVIDENCIAS CIENTIFICAS A RESPEITO DESSA DIETA.. ASS: DR MARCELO

      Excluir
    4. Olá, Marcelo.

      Os ensaios clínicos randomizados duplo-cego feitos com hCG, do começo ao término do período em que esse hormônio foi cientificamente pesquisado, estão basicamente todos contidos na meta-análise citada nesse texto.

      Se você acha que o Google Acadêmico é uma boa base de dados para busca de trabalhos científicos, reveja seus conceitos. Procure conhecer Pubmed, Embase e Scopus, por exemplo.

      Excluir
  7. Queria apenas entender...hcg é usado para tratamento de fertilização...assim como também é um hormônio produzido em altas quantidades em gestantes.

    Gestantes então são pessoas que correm risco de ter cancêr? hahahah pq se for assim não irei engravidar....e nunca vou me submeter a um tratamento para fertilização.

    Pois bem...sou farmacêutica...assisto as palestras do Lair Ribeiro...eu tinha diversos problemas de saúde e todos melhoraram a partir do momento em que comecei a seguir alguns métodos de tratamento dele.
    Estou fazendo a dieta do hcg...o que ocorre é que..óbvio que a dieta faz perder o peso, mas eu tentei seguir a dieta sem o hormônio e é IMPOSSÍVEL aguentar mais de 3 dias....
    O hcg tanto funciona que eu ficaria um dia inteiro sem comer..pois não sinto fome.


    Outra questão é...dentre tantos medicamentos que já tivemos na praça e que provavelmente voltarão para o mercado, pois já foi aprovado e está em revisão pela ANVISA, digo os anorexígenos, posso garantir como farmacêutica e pesquisadora da USP que o risco destes medicamentos são maiores do que o HCG.

    Vamos ressaltar que o HCG entra no grupo de drogas com efeito off label, da mesma forma que a Metformina por exemplo não tem comprovação nenhuma que emagrece, sabemos que ela causa perda de peso..impossível contestar que não...os endócrinos prescrevem mesmo sem comprovação....então é bom rever bem conceitos antes de sair afirmando que algo faz ou não efeito.

    E só para finalizar...o hcg também é usado em homens Criptorquidia...então quer dizer que todos os homens que se tratam tem cancêr também?


    Enfim....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Débora.

      Os comentários repetidos eu não responderei novamente. Desculpa, mas pouco importa se o hCG funciona com você ou com qualquer outra pessoa X. Esses não são argumentos suficientes para dizer que o uso off-label (vocês farmacêuticos adoram esse termo, né?) do hCG deveria ser utilizado por qualquer pessoa -- ainda mais com os diversos estudos demonstrando, cientificamente (e não empiricamente) que o hCG não traz benefícios adicionais para a perda de peso.

      Ninguém disse que o hCG causa câncer. O que eu disse é que existem estudos mostrando a relação entre esse hormônio e alguns tipos de câncer. Isso não quer dizer que qualquer pessoa que use hCG vai desenvolver um câncer.

      A função do hCG na mulher gestante certamente é muito diferente da ação desse hormônio em uma pessoa que está em outro estado fisiológico. Não é só a produção de hCG que aumenta durante a gravidez; milhares de outras alterações ocorrem, dentre as quais a maior produção de hCG é apenas uma delas. Várias outras substâncias poderiam contra-balancear qualquer possível efeito negativo que o hCG viria a causa em gestantes -- o que, se for realmente o caso, jamais aconteceria com uma pessoa "comum" que simplesmente passa usar hCG. A mesma lógica se aplica a homens com criptorquidia. Você como "farmacêutica e pesquisadora da USP" deveria pensar nessas questões fundamentais que dizem respeito a diferentes momentos fisiológicos de uma gestante comparada a uma pessoa "comum".

      Sim, metformina realmente causa uma pequena (ou até moderada, dependendo da pessoa) perda de peso. Mas existem estudos mostrando isso! Para o hCG não existe qualquer evidência científica para isso... Você como "pesquisadora da USP" deveria saber disso também (na verdade nem precisaria saber, porque as referências tão no texto).

      O Lair Ribeiro fala muita coisa certa. Até mesmo os profissionais de saúde mais medíocres (na acepção literal da palavra) acertam na maioria das condutas, simplesmente porque ser profissional de saúde é "fácil". Mas que o Lair Ribeiro fala muita besteira, fala sim: água alcalina pra melhorar o pH sanguíneo, iodo pra retirar agrotóxicos dos alimentos etc.

      E, por favor, não utilize essa falácia de apelo à autoridade ("como farmacêutica e pesquisadora da USP"). Que coisa mais triste de se fazer...

      Excluir
  8. Fiz aplicaçao de HCG injetável. emagreci 7 Kg em 20 dias mas sentia muitas dores durante o tratamento na regiao dos ovários e fiquei com minha pele muito ressecada( desidratada), senti muita fraqueza e as vezes com hipoglicemia sensaçao de desmaio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela contribuição no relato de alguns efeitos adversos.

      Excluir
  9. João Gabriel conhece alguém que morreu, passou mal, teve diarréia ou qualquer outro sintoma ruim fazendo a dieta do HCG para fundamentar da sua teoria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Misa.

      Não tem teoria. Muito menos teoria minha. Apenas relatei o que os estudos sobre o hCG dizem.

      Especificamente sobre sintomas, uma pessoa bem ali em cima relatou sintomas quando fez uso do hCG. Particularmente não sei de muitos problemas porque não trabalho num meio próximo a pessoas e 'profissionais' que usam o hCG, mas conheço sim alguns relatos de efeitos adversos. Nunca ouvi falar de nada tão sério, mas existem sim relatos.

      Além disso, os possíveis problemas associados ao uso do hCG, assim como de qualquer outro tipo de hormônio, seriam todos crônicos. Ou seja, demorariam anos para se estabelecerem. Considerando que a "moda" do hCG é relativamente recente (eu sei que usam o hCG há anos, mas seu uso se popularizou de verdade nos últimos anos), efeitos adversos mais sérios, caso ocorram, vão demorar mais um pouquinho para serem evidenciados. E mesmo assim, é praticamente impossível relacionar um futuro problema crônico diretamente ao hCG, uma vez que são uma série de fatores ambientais que poderiam também estar associados.

      De qualquer maneira, pra mim a grande pergunta é: por que arriscar, sendo que existem algumas estratégias muito boas -- e que não envolvem hormônios ou medicamentos -- para perda de peso?

      Excluir
  10. Olá João!

    Muito boa a publicação. Com certeza ajudou, ajuda e ajudará leigos a se informarem melhor sobre a disseminação de informação existente na internet hoje em dia. Inclusive me ajudou num trabalho!

    Gostaria de também de saber se você tem algum email para contato. Estou fazendo meu TCC sobre Nutrição Infantil, e quanto mais informação de nutricionistas eu tiver, melhor. Infelizmente meu tempo é curto para ir em faculdades ou em qualquer outro lugar para buscar informações sobre tal assunto. O único conteúdo que temos sobre um nutricionista é de um colega que abandonou o curso... :( Enfim, se você estiver disponível e quiser ajudar, mande-me um email no maroliv.oliveira@gmail.com

    Agradeço desde já, e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariana.

      Eu que agradeço a leitura e o comentário!

      Excluir
  11. Tudo bem João?? Bom, já fiz restrição alimentar seríssima e mantive atividade física pelo período de 25 dias corridos. Nesses dias não comia, sequer, 300 calorias/ dia. Nos dias posteriores (15 dias posteriores), mantive restrição calórica de 400, 500 calorias/dia. Isso foi em 2012. Meu peso pouco alterou. Não fiz com intuito de emagrecer, fiz por outras razões. Mas se APENAS restrição calórica, ao longo de 40 dias, fosse suficiente para emagrecer eu teria um resultado significativo nesse período que te relatei. Não foi o caso. E eu não tenho problemas de tireoide ou algo do tipo. Enfim, cada organismo reage de uma forma a cada tipo de experiência. Não dá para generalizar ou totalizar e dizer que todos terão bons resultados com, apenas, uma restrição alimentar "severa".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cal. Tudo bem sim.

      Não disse que todos terão bons resultados com apenas uma restrição alimentar severa. O que eu tenho falado é que os estudos mostram que o hCG não vai trazer benefícios adicionais. Se uma pessoa perder 10 kg em 40 dias de restrição energética, com 500 kcal/dia, não é o hCG que vai mudar isso. Se uma outra pessoa perder, nesse mesmo tempo, apenas 1 kg, não é o que hCG que está influenciando a perda de peso.

      Em praticamente todos os textos que escrevo eu ressalto a importância da individualidade. Cada pessoa é diferente uma da outra; o que funciona bem para um indivíduo não necessariamente vai funcionar para outro. Mas, considerando uma mesma pessoa, a ciência mostra que a perda de peso será a mesma caso ela use ou não use o hCG. "Só" isso.

      Excluir
  12. MEU DEEEEUS! HCG É CANCERÍGENO!!! POBRES MULHERES GRÁVIDAS ENTÃO, QUE TÊM SEUS BEBÊS E FICAM COM CÂNCER.... NÃO.. PERA... TEM ALGO ERRADO AI! AFFF HEIN!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro, Anônimo.

      Não aparente um ar de superioridade sobre um assunto que você aparentemente não entende, que no caso é a fisiologia humana.

      Esse argumento de que as mulheres grávidas teriam câncer porque aumentam a produção de hCG durante a gestação não pode ser comparado ao uso exógeno desse hormônio.

      Vou explicar para que você possa entender. O estado fisiológico da grávida é infinitamente diferente de uma mulher não gestante ou de um homem. As inúmeras alterações metabólicas e bioquímicas que acontecem durante a gravidez certamente fazem com que o corpo da gestante se adapte ao hCG (assim como às demais alterações hormonais que acontecem nesse período). Só que essas alterações hormonais, onde se inclui o aumento na produção de hCG, não ocorrem em homens ou em mulheres não gestantes. Enquanto que o aumento nos níveis de hCG é um processo normal para uma mulher gestante, ele é totalmente fora do do comum, ou fora do esperado, para um homem ou para uma mulher que não está gestante.

      Esse seria o grande problema de você administrar o hCG em quem não produz quantidades elevadas desse hormônio, como é o caso de qualquer pessoa que não esteja grávida (ou que não possa engravidar, como é o caso do homens). O hCG é um hormônio, e como tal ele acaba influenciando diversos processos fisiológicos; isso é esperado numa mulher grávida, mas não em pessoas não estejam carregando um bebê. Por que você acha que não é qualquer um que pode usar testosterona, estrógenos, insulina, GH etc? Porque essas substâncias são todas hormônios, todas capazes de influenciar uma infinidade de processos fisiológicos e bioquímicos.

      Excluir
    2. Aff o pessoal comentando parece não ter lido o texto inteiro. Os mesmos argumentos que já foram respondidos. Até cansa.

      Excluir
  13. Fiz e perdi mais de 10 kg. e recomendo não senti fome no tratamento não me senti mau.
    Trata-se de algo estudado e sacramentado por médicos de renome,.Acho antiético alguém tentar depreciar estudos confirmados de outro profissional, mais triste ainda é o cara não fornecer nenhum contra proposta que deva ser levado a serio.
    Sem renome e eliminar as esperanças dos que estão alcançando suas metas de alegria e bem estar.Isso é maldade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, agora que médicos de "renome" disseram que tá tudo certo, então realmente todos deveriam recomendar qualquer coisa que eles pregam.

      A princípio, profissionais (que trabalham na prática clínica) não fazem estudos; quem faz estudo são pesquisadores (apesar de uma coisa não necessariamente excluir a outra). Quando um médico prescreve hCG, ou qualquer outro medicamento, a um paciente, ele não está estudando nada; ele está tratando um pessoa. Só isso.

      Maldade é brincar com a saúde das pessoas, que ainda acreditam em médicos de "renome" e em tratamentos milagrosos.

      Excluir
  14. Já conferiu o currículo do Dr. Lair Ribeiro, antes de falar? Vai vc fazer Medicina e continuar estudando muito e sempre, para poder falar. Aliás, conheço muitos que fizeram Nutrição por não conseguir passar em Medicina. Vc tem algum estudo publicado? Todas as informações que vc passou estão incompletas. O tratamento de hCG tem um protocolo cuidadoso que não corresponde exatamente ao que vc julgou aí. A responsabilidade dos médicos é muito grande para vc dizer que "estão tratando o paciente e não estão estudando nada " !!!!!! Vc tem algum problema de competição com os médicos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada importa o currículo de alguém se a pessoa fala coisas erradas. Saber pesquisar, ler e interpretar estudos científicos não requer um currículo.

      Número de estudos publicados não quer dizer quase nada. Se você soubesse o mínimo sobre o assunto, não usaria isso como um argumento. Se número de estudos publicados fosse algo importante, o Brasil seria um grande país no meio acadêmico. O que não é verdade -- longe disso. O Brasil é péssimo, de maneira geral, no meio científico. Isso porque o Brasil publica muita coisa, em números. Mas as publicações são de baixa qualidade. Pense em qualidade dos estudos publicados antes de falar de quantidade.

      Se as informações que eu passei estão incompletas, mostre-as de forma completa. Mas mostre alguma fonte que apresente referências científicas para os assuntos abordados. Qualquer pessoa pode falar qualquer coisa na internet; se não tiver referência, a princípio não vale nada.

      O protocolo que eu coloquei do hCG engloba as diversas possibilidade? Todos os médicos recomendam exercício? Não... A forma de administração do hCG muda? Sim... Independente do protocolo, a ciência mostra que o hCG não confere benefícios adicionais.

      Além disso, aprenda a ler e interpretar um pouco melhor. Na citação do que você fez sobre o que eu falei logo acima, não quis dizer que médicos não estudam. Médicos estudam sim, assim como todos os profissionais que possuem diploma de ensino superior. Alguns médicos, aqueles que são verdadeiros profissionais de saúde, estudam sempre e cada vez mais, para garantir que estejam sempre atualizados e possam tratar bem os seus pacientes.

      O que eu quis dizer no trecho acima -- e que está bem claro -- é que no momento em que um médico está administrando hCG (ou qualquer outra droga) a um paciente, isso não configura um estudo científico -- longe disso. Um tratamento clínico, no dia a dia da prática do médico, não tem nada a ver com um estudo científico. Só isso que eu disse. E eu falei isso em resposta a um comentário que o leitor acima fez. Por favor, leia e interprete de forma adequada toda a conversa antes de fazer uma citação infeliz como essa.

      Não tenho nenhum problema de competição com ninguém. Mas sou contra práticas que podem causar problemas, mesmo com riscos relativamente pequenos, a qualquer paciente -- principalmente quando existem tratamentos alternativos que são altamente eficazes e que possuem risco zero. Até que qualquer pessoa mostre cientificamente que o uso do hCG faz sentido (e tem MUITA evidência mostrando justamente o contrário disso), a princípio serei contra todas as pessoas que recomendam o hCG.

      Excluir
  15. Parabéns pelo Blog e paciência com a qual responde cada comentario, não deve ser fácil... Lendo e pesquisando sobre o HCG vi seu Blog e gostei mt das evidencias e estudos mostrados; de contrapartida é triste ver como os leigos se deixam ludibriar tão fácil por um ''Medico'' que aplica esse protocolo inocente com as literaturas mais recentes, pior, vendo eles baterem de frente com a literatura com o único argumento de que ''Comigo funcionou'' ou ''Minha vizinha fez e deu certo'', ainda tentam Rebaixar nos nutricionistas, soltando sempre um ar de superioridade quando tocam no nome MEDICO. É triste ver pessoa, cada vez mais, procurando formula magica para emagrecer sem esforço ou sem sair de sua zona de conforto, mais triste ainda é ver profissionais enricando as custa disso. Procurem um bom acompanhamento Multidisciplinar para tratar Obesidade ao invés de se desnutrirem com dietas Hipocaloricas que iram acabar com sua saúde! Mais uma vez PARABÉNS pelo Blog! (não ''re-li'' o texto e escrevi pelo celular, erros podem ocorrer)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tairone.

      Agradeço a leitura e os elogios! É um pouco óbvio o que vou dizer, mas concordo com todas as ideias que você expôs.

      É sempre bom ver gente sensata por aqui, principalmente porque muita gente acaba levando as informações apresentadas, mesmo que com cunho e embasamento científico, para o lado "pessoal".

      Excluir
  16. Prezados todos, saudações!
    Eu entendo que é no mínimo curioso, logicamente errôneo e até antiético dizer que não há trabalhos científicos comprovando ou não se a Dieta HCG funciona e se o HCG faz o que o Dr. Simeons diz fazer, ou seja, em nenhum momento vi o dono do Blog o João Gabriel, falar profundamente no trabalho do Dr. Simeons, apenas uma linha sobre, e apenas dizendo que ela, a dieta foi proposta, e não que ele, o Dr. Simeons por 40 anos a praticou, pesquisou e desenvolveu este sistema, e em seu livro “Pounds and Inches” ele explica sobre tal desenvolvimento, ou seja, esta é uma prova científica... daí poderia se perguntar: E as contra provas?
    Nos USA ALGUMAS universidades fizeram já, e a pedidos de centros científicos e indústrias farmacêuticas a contra prova da prova (que estão no livro do Dr. Simeons) e em nenhuma das contra provas contrariaram os resultados obtidos por Simeons, ou seja, a Dieta ou Protocolo Simeons funciona, e o HCG ajuda sim e muito no processo todo, pois, estes institutos americanos são sérios neste mister.
    O local das contra provas nos EUA foram no Johns Hopkins Hospital
    que também é uma Universidade de pesquisas sérias e tem uma ala só para os estudos da DIETA HCG, e pode ser visto este assunto no link (https://www.youtube.com/watch?v=D0FgVE8aTuc) de um brasileiro que entrevistou um dos médicos responsáveis, o da terceira contra prova, e ele esclareceu que essas contraprovas forma pedidas por grandes empresas que queriam demonstrar que a dieta não funciona para eles venderem seus próprios produtos e tratamento ao desmascarar o trabalho sério do Dr. Simeons.

    Desta forma quando o texto do prezado Nutricionista João Gabriel diz não haver provas está errado, pois, cientificamente temos a prova, e está é o livro que fala dos 40 anos de prática e clinica do Dr. Simeons com seus milhares de pacientes, e se querem contra provas, elas igualmente já existem na América do Norte, e são já 3 feitas pelo supracitado hospital.

    Att.,
    Vinícius – Prof. de Filosofia para o Ensino Básico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vinícius.

      O livro "Pounds and Inches" do Simeons, mesmo que escrito com objetivo de ajudar as pessoas, não pode ser tido como prova de que o hCG funciona. E vou explicar o porquê disso. Os artigos científicos que o Simeons publicou nunca foram estudos do tipo ensaio clínico randomizado controlado por placebo. Isso significa dizer que o Simeons tratou diversas pessoas com hCG, obtendo alguns bons resultados e outros resultados pífios (http://ajcn.nutrition.org/content/15/3/188.full.pdf), mas ele nunca publicou nenhum estudo diretamente comparando um grupo placebo contra um grupo hCG. Todos os estudos dele foram estudos clínicos sem grupo controle.

      Quando você junta os estudos do tipo ensaio clínico controlado por placebo, os resultados são bem claros: não existe diferença entre o grupo placebo e o grupo hCG em nenhuma das variáveis analisadas (http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1365-2125.1995.tb05779.x/epdf). NENHUMA.

      É praticamente irrelevante (pra não dizer totalmente irrelevante) que o hospital X ou o médico Y digam que o hCG proporciona algum efeito adicional na perda de peso se a ciência não mostra isso. Se não existissem estudos testando a efetividade do hCG, e daí o hospital X ou o médico Y dissessem que o hCG funciona na prática -- mesmo não tendo estudo científicos --, tudo bem; seria minimamente justo você ter como opção um tratamento aparentemente efetivo na prática que ainda não tenha sido testado cientificamente (apesar de não ter como garantia sua segurança total). MAS ESSE NÃO É O CASO. Existem dezenas de estudo com hCG, os quais mostram claramente que, quando comparado a um placebo, esse hormônio não confere benefícios adicionais.

      A não ser que o Simeons volte dos mortos, ele não poderá mostrar o contrário do que a ciência já verificou. E como já faz décadas que estudos com o hCG não são publicados, justamente porque para os pesquisadores há tempos já está claro que o hCG não auxilia a perda de peso, duvido que num futuro próximo voltem a estudar o hCG. Até porque não precisa; qualquer um que saiba, ou queira, ler e interpretar estudos científicos vai (ou deveria) chegar à mesma conclusão: o hCG não ajuda na perda de peso. [A não ser por um possível efeito placebo].

      Excluir
  17. Olá!
    Entendo que todos, que procuraram esse texto do blog, estariam interessados em perder peso e depositaram sua fé no HCG. Entendo também que a vontade desse medicamento milagroso existir, faz com que se ignore as evidências cientificas, priorizando argumentos não cientificamente significativos. Eu fiz isso. Acho que todos gostariam que fosse verdade. Mas até o momento, não se pode dizer que é comprovado! Mesmo assim, pode ser que funcione, claro, tudo pode ser. Entretanto estamos limitados a inexistência de dados definitivos a favor do hCG, pelo que entendi.
    Obrigada pelo texto. Ser contrário a isso deve exigir muita compreensão e coragem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Admito que não é simples, justamente pelos motivos que você citou. Mas como profissional de saúde, acredito que meu dever é informar com a verdade.

      Agradeço bastante o seu lúcido e honesto comentário!

      Excluir
  18. Grande João parabéns pelo blog. Li mais de 50 comentários, inclusive suas respostas. Uma coisa digo, qq medicação ou estimulantes para emagrecer ou inibir apetites tem efeito colaterais. Emagrecer saudável não é fácil. Há quem diga q o ideal é emagrecer de uma a dois kg por mês. Sou sincero tentei de tudo,as com 40kg acima do peso, nem ânimo tenho para nada. Hj consultei com o médico e e entreguei resultados de 52 exames e semana q vem começarei o tratamento com hCG e outras manipulações e alimentação com 500 kcal/dia. Pelo q entendi dos seus comentários o hCG seria irrelevante, numa dieta restritiva dessas de apenas 500kcal/dia. Mas pelo q entendi de outros sites a importância do hCG não seria reduzir apetite, mas manter o corpo nutrido com baixo teor de caloria dia. Pois o hormônio tem justamente essa função nas grávidas. Cara ou faço esse tratamento ou me complicarei com doença de colesterol alto ou do coração. Chega um momento q temos q dar um basta, dieta lenta comigo não dar certo prefiro sofrer intensamente por 40 dias do q ficar dois anos com dietas de emagrecimento demorado. O resultado é o ânimos q nos gordinhos precisamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a perda de água, meu médico foi taxativo em dizer qq tenho q ingerir no mínimo 4 litros de água ou chás em geral por dia.

      Excluir
    2. Olá, Philipe.

      Na prática, muita gente fez a dieta do hCG e teve resultados. Isso é incontestável; não estou dizendo que as pessoas estão mentindo. Mas considerando que os estudos com hCG mostram claramente que ele não influencia a perda de peso, a saciedade ou o bem-estar do paciente, a única conclusão (pelo menos até onde eu consigo enxergar) que conseguimos chegar é que esses resultados obtidos por quem usa o hCG é devido a um efeito placebo.

      Em todo o caso, a grande ressalva que eu faço é que o hCG é um hormônio. E todos os hormônios em nosso corpo mexem com muita coisa. Ainda mais um hormônio que não está presente em grandes quantidades no corpo, como é o caso do hCG em praticamente todas as pessoas (exceto as gestantes). Quem sabe os efeitos que isso pode ter no futuro? Por isso recomendo que não utilizem.

      Em relação ao fato de o hCG "manter o corpo nutrido com baixo teor de caloria", não existem evidências sobre isso. Nem mesmo nas gestantes. Você pode observar que as fontes de onde você tirou essa informação não citam referências. Eu aposto que não, pelo menos não uma referência confiável de verdade. E se você pedir, eles não vão ser capazes de oferecer referências científicas para essa alegação.

      Agradeço a leitura! E boa sorte com o tratamento.

      Excluir
    3. OK. Muito obrigado.

      Excluir
  19. Esse é um tratamento não recomendado pelo cfm/crm!!
    As pessoas graduadas deveriam saber diferenciar estudos científicos de empirismo!!
    Se forem defender o uso, apontem referências! !!sabemos que uma dieta de 500 kcal vai fazer qualquer um perder peso.
    Quanto a fome e a força de vontade de suporta lá depende de cada um.
    Parabéns ao João pelo poste e por sustentar suas ideias embasado em um estudo.
    Conheço vários casos de uso sem sucesso tb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela leitura e pelo apoio. Foi sucinto e direto!

      Excluir
  20. Sabe o que é mais engraçado dessa história toda? É que eu ja fui para um SPA famoso, com dieta restrita de 500 calorias, e sabe o que aconteceu??? Ganhei 1,600 kgs!!! kkk Ai ano passado fiz a dieta do HCG e emagreci 7 kgs em um mês. Estou fazendo de novo!
    Se a dieta fosse ruim ou fizesse mal o Dr. Vitor Sorrentino, médico famoso de SP, que o SR João Gabriel deve conhecer, não faria em seus pacientes certo?
    E, se o hormõnio da gravidez fizesse mal para o organismo eu estaria ferrada, tenho dois filhos!
    Então gente cada um sabe o que é melhor ou não. A única coisa que faz mal , para tudo, tanto para a saúde quanto para a auto estima é ficar gordo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Esse seu argumento sobre o Vitor Sorrentino é um clássico exemplo da falácia de apelo à autoridade, e por isso nem merece réplica. Mas já que você mencionou ele, aproveite e leia o segundo post sobre hCG que escrevi (o link está no final desse post), pra você entender que, pelo menos no que diz respeito ao uso do hCG, o embasamento do profissional que você citou não é bem do jeito que você imagina.

      Leia os demais comentários acima, e no outro post sobre o hCG, para ver o que eu tenho a te dizer sobre os resultados que você obteve com o hCG. Não duvido dos seus resultados, mas olha lá o provável motivo por que o seu tratamento deu certo. Resumindo: efeito placebo. Deu certo? Deu. Mas a que custo no futuro?

      O mesmo vale para a questão do hCG durante a gravidez. Leia os comentários acima e também os do post anterior. Resumindo: o estado fisiológico da gestação é muito diferente dos estados em que não há grande produção do hCG, seja em mulheres, homens ou crianças. A gestante está preparada para produzir mais hCG, enquanto que todas as outras pessoas não estão.

      Excluir
  21. Enfim... Funciona!

    São Paulo, 21.05.2015
    Posicionamento da Sociedade Brasileira para Estudos da Fisiologia - SOBRAF
    -
    Em relação à utilização da Gonadotrofina Coriônica Humana (hCG) para tratamento da obesidade. Em consonância com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), que divulgaram posicionamento conjunto recente sobre o tema, a SOBRAF corrobora a sua importância e correção.Propagar a utilização do hCG como ferramenta terapêutica para o
    tratamento da obesidade é um ato que não está amparado ou avalidado pelos protocolos da SOBRAF.
    Por outro lado, não se pode deixar de ressaltar que existe sim, uma
    nítida janela de oportunidade terapêutica para utilização clínica do
    hCG como ferramenta auxiliar na perda de gordura, sempre
    associada à dieta de muito baixa caloria.
    Dados da literatura e a experiência prática direta de milhares de
    médicos em todo o mundo indica m que níveis circulantes muito
    baixos de hCG são capazes de, temporariamente, intensificar a
    lipólise no adipócito branco humano, através do efeito de inibição da
    lipogênese, desde que o indivíduo seja submetido a uma dieta de
    muito baixa caloria (DMBC).
    Adipócitos brancos humanos possuem adrenoreceptores de
    membrana Alfa e Beta, atuando de formas distintas no metabolismo
    do tecido adiposo:
    1. Receptores Beta 1.2.3. aumentam a taxa de lipólise.
    2. Receptores Alfa 2 reduzem a taxa de lipólise.
    Ao se associar baixas doses de hCG à dieta de muito baixa caloria
    (DMBC), ocorrerá intensa mobilização dos depósitos de gordura,
    ativando a lipólise no adipócito branco.

    ResponderExcluir
  22. A gordura mobilizada e ativada é transportada ao fígado, de onde
    será excretada e eliminada.
    Desse modo, fica bem claro que o efeito de redução do tecido
    adiposo (emagrecimento), e a conseqüente perda de peso, não
    ocorrem pela ação direta do hCG, e sim, pela restrição oriunda da
    dieta de muito baixa caloria (DMBC).
    Por outro lado, fica igualmente claro que o hCG, embora não possua
    qualquer efeito lipolítico, atua como uma ponte metabólica induzindo
    o recrutamento de gordura branca para suprir o déficit
    energético em indíviduos submetidos a uma dieta de muito baixa caloria (DMBC).
    Diante do exposto, argumentam os objetores do protocolo do hCG,
    que qualquer pessoa irá perder peso se for submetida a uma dieta de
    muito baixa caloria, que é caracterizada pela ingestao diária de 800
    kcal ou menos .
    Argumentam ainda, que a estratégia de utilização do hCG é uma
    falácia, pois, ao se comparar dois grupos de indivíduos obesos, sendo
    o grupo A DMBC+hCG, e grupo B somente DMBC, a perda de peso é
    semelhante entre os dois grupos.
    Aí se esconde uma perigosa meia verdade, porquanto, se procede o
    argumento de que os grupos A e B perdem peso de maneira
    semelhante, ao se analisar ao invés do peso, a composição corporal
    dos dois grupos por bioimpedancitometria tetrapolar,antes e depois
    da dieta,as diferenças são significativas.
    O grupo B (DMBC) perde peso principalmente às custas de consumo
    de massa muscular, oriunda da intensa cetose provocada pela severa
    restrição calórica, enquanto o grupo A (hCG+DMBC), perde peso
    essencialmente às custas da mobilização maciça do adipócito
    branco, provocada pela presença de níveis baixos circulantes de
    hCG, sendo a perda bem tolerada e mais saudável, uma vez que o
    que o paciente perde é essencialmente gordura branca,mantendo
    preservada sua massa muscular.
    Com relação ao s aludidos efeitos deletérios, consideramos que não
    Existe perigo ou efeito deletério maior para a vida humana do que a
    persistência do estado de obesidade. O hCG, como ferramenta
    complementar à DMBC vem sendo utilizado com segurança e
    benefícios comprovados na prática médica há mais de 50
    anos, com larga margem de segurança, por médicos adequadamente
    qualificados ao redor de todo o mundo, fato que pode ser facilmente comprovado, sem que, até o presente, se tenha conhecimento de qualquer efeito colateral grave ou mesmo significativo para a saúde humana.
    Ao mesmo tempo, devemos lembrar dos sérios e graves efeitos
    adversos de várias drogas e procedimentos cirúrgicos, que são
    largamente utilizados para o tratamento da obesidade, sendo que, no
    que concerne às drogas, muitas delas , de tão perigosas,encontram
    se até mesmo proibidas de serem prescritas no nosso país.
    A obesidade é uma condição crônica multifatorial, e o seu
    tratamento bem sucedido depende do diagnóstico e correta
    abordagem de todos os fatores etiológicos envolvidos.
    Para finalizar, é de capital relevância informar que o hCG não é
    medicamento para emagrecer, sendo o seu uso restrito e
    condicionado à prescrição e acompanhamento de profissional
    devidamente qualificado . Somente o medico, após avaliar
    adequadamente as condições de saúde do seu paciente,
    é capaz de julgar e decidir se uma terapia irá ou não beneficia-

    lo, sendo o mesmo, igualmente, o único responsável pelos seus atos.
    São Paulo, 21.05.2015
    Grupo de Consensos da SOBRAF
    o
    Professora Doutora Ana Cristina Vendramini, PhD
    o
    Professora Doutora
    Andreia Conceição Milan B. Antoniolli, PhD
    o
    Professora Doutora Andrea Thomaz Soccol, PhD
    o
    Professor Doutor Eduardo Faria, PhD
    o
    Professor Doutor Marcelo Alexandre de Mattos, PhD
    o
    Professor Doutor Marcos Renato Scholz, PhD
    o
    Dr. Ítalo Emmanuel Valeriano Rachid

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro ser anônimo, seguem as inconsistências do textículo que você colocou acima:

      1) Eles mesmos falam que a administração do hCG é um protocolo INEFICAZ, mas mesmo assim dizem que os médicos deveriam usar? Conflito de interesses (econômicos)?

      2) "Dados da literatura...". A soma de evidências da literatura claramente mostram que o hCG não ajuda na perda de gordura corporal.

      3) "... níveis circulantes muito baixos de hCG são capazes de, temporariamente, intensificar a lipólise no adipócito branco humano...". Primeiro, não tem nenhum dado desse tipo em humanos. NENHUM. O que já se testou em humano é se o hCG aumenta ou não a perda de peso. Nunca foi testado se o hCG realmente age diretamente nos adipócitos humanos. Além disso, há um erro conceitual nessa frase: "níveis muito baixos de hCG" são as concentrações encontradas em pessoas comuns que não fazem o uso desse hormônio; se você passa a utilizá-lo, seus níveis vão deixar de ser "muito baixos".

      4) O texto cita que o adipócito possui receptores adrenérgicos. Isso realmente é verdade. Mas não necessariamente quer dizer que o hCG leva ao aumento na ativação adrenérgica das células de gordura e que, por isso, esse hormônio levaria à redução do tecido adiposo. Não existem estudos que testaram isso. De qualquer maneira, levando em conta que os ensaios clínicos controlados mostram não haver diferença na perda de peso entre pessoas que utilizam placebo ou hCG, isso sugere fortemente que não há estímulo significativo (não mais que o placebo) em pessoas que passam pelo tratamento hormonal.

      5) "A gordura mobilizada e ativada é transportada ao fígado, de onde
      será excretada e eliminada". Meu amigo... Se esse grupo de "professores doutores (PhDs)", os tais "especialistas" realmente acham que a gordura é "excretada e eliminada" após passar pelo fígado, a turma do hCG realmente está perdida. Tá faltando estudar um pouco (ou muito) de fisiologia básica.

      6) Depois falam que o hCG não causa um efeito lipolítico direto, mesmo falando anteriormente que o hCG ajudava sim na mobilização de gordura do tecido adiposo. Bela lógica.

      7) Eles usam o termo "falácia". Esse caso não tem nada a ver com falácia. Dizer que o hCG funciona é simplesmente ignorar as evidências científicas. Não tem falácia.

      8) Falam também que, quando se avalia a composição corporal de pessoas que fizeram apenas dieta de baixa caloria comparadas a indivíduos que fizeram a dieta + hCG, a perda de peso pode até ser igual, mas a perda de gordura corporal é maior em quem usou o hormônio, ou seja, haveria maior preservação de massa muscular. Mas isso simplesmente não é verdade. Ou estão mentindo, ou está faltando estudo para as pessoas que escreveram isso. Veja bem, existem dois estudos clínicos controlados que mediram o percentual de gordura (antes e depois) e mais um estudo que mediu a circunferência da cintura (que é uma medida indireta da gordura corporal), tanto em indivíduos que receberam ou não o hCG durante um período de dieta com restrição calórica. E os resultados: redução do percentual de gordura e redução da circunferência da cintura foram EXATAMENTE OS MESMOS em quem usou o hCG ou não.

      Aqui as referências:

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2405506
      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/792477
      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/836112


      Os "especialistas" que escreveram o texto acima parece que simplesmente tiraram as coisas da própria cabeça. Além de ter muita coisa sem sentido, não tem referência alguma -- seja para guiar profissionais ou pacientes a tomarem as decisões adequadas. Nas ciências da saúde, as condutas devem ser tomadas com base em evidências (e longe, muito longe, de outros interesses).

      Excluir
  23. Bom, eu acho que nós apenas podemos dizer que "Não existe" alguma coisa quando procuramos em todos os cantos do mundo e realmente não encontramos o que procurávamos. Assim, dizer que não existe estudos que comprovem isto é meio complicado não é? Ex: "Primeiro, não tem nenhum dado desse tipo em humanos. NENHUM."
    Vc pode contestar a "autoridade"das pessoas, isso é salutar, mas apenas tome cuidado de disfarçar um pouco sua autoridade em dizer o contrario, ou seja, de que isso não funciona.
    vc me parece uma pessoa bem instruída, mas em suas palavras escorrem sarcasmo. Tente ajudar os aventureiros desta dieta de uma forma mais amigável, vc claramente fica alterado quando alguém contrapõe seu ponto de vista, com isso, vc está na mão dos outros, ou seja, sou dono de seu sentimento pois consigo alterar sua serenidade com poucas palavras.
    abraços e continue defendendo seu ponto de vista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dados realmente não existe, basta procurar.

      A minha "autoridade" vem apenas da minha capacidade de estudar e tentar trazer a verdade sobre os fatos. Ao contrário do que muitos fazem, eu tento expor os fato e deixar com que eles falem por eles mesmos.

      O sarcasmo que sai ou não das minhas palavras é irrelevante. Além disso, não to aqui pra ser amiguinho de ninguém. Muito pelo contrário, tenho que ser "inimigo" de quem está promovendo práticas que podem prejudicar a saúde das pessoas; assim, por esse lado, acredito que ajudo muito mais.

      Ficando alterado ou não, ninguém aqui está contrapondo o meu ponto de vista. Particularmente nos textos que escrevi sobre o hCG (e em quase todos os textos, na verdade), a opinião é da ciência, e não minha. E quando estivermos falando de ciência, use argumentos válidos em vez de falso moralismo.

      Minha serenidade quase foi embora, hein.

      Excluir
  24. João Gabriel o HCG tem sangue? É extraído de onde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O hCG, tanto em mulheres como homens, pode ser detectado no sangue; a concentração em mulheres grávidas é muito maior do que em qualquer outra pessoa. o hCG utilizado por quem pratica a dieta é extraído da urina de mulheres grávidas.

      Excluir
    2. O HCG utilizado nas dietas nao e extraido de urina de mulheres gravidas, ele e extraido de plantas, se voce ler o rotulo da embalagem ta muito bem escrito. Aqui nos EUA o hcg liquido e vendido nas farmacias e supermercados , somente o injetavel e adimistrado sob supervisao medica e vendido em clinicas. O hcg funciona sim eu mesmo ja fiz a dieta , e so fiz ela depois de muita pesquisa , e pelo o que eu descobri existem mais pro de que contras, se nao existe uma pesquisa cientifica comprovando a eficiencia do produto tambem nao existe uma pesquisa provando o contrario. Agora o que as pessoas precisam ficar atentas e as fraudes, clinicas vendendo o produto falsificado que sim podem causar danos a saude, ainda mais em um pais que colocam ate agua oxigenada no leite e ninguem faz nada.
      Eu posso falar por minha experiencia que foi exelente , usei perdi peso minha saude melhorou incrivelmente, meus check up medicos anuais podem provar. Com a dieta eu aprendi a comer melhor a escolher melhor meus alimentos, dar preferencia para produtos organicos , beber bastante agua nao tomas refrigerantes etc...

      Excluir
    3. Olá.

      Não tive acesso recente à composição dos produtos atualmente comercializados como "hCG", mas se você está dizendo que o hormônio vem sendo extraído de plantas, ok. Porém, vale ressaltar que, nesse caso, ele não pode ser chamado de "hCG", justamente porque o "h" que inicial a frase se refere ao termo "human" (ou "humano, em português). Ou seja, se não vem de humanos, não pode ser "hCG".

      Não precisamos de estudos mostrando que o hCG tem efeito contrário (ganho de peso?!). O simples fato do hCG não ser superior a placebos nos estudos é motivo mais do que suficiente para ele não ser prescrito.

      Parabéns pelos seus resultados. Entretanto, a partir do que a ciência mostra, eles foram decorrentes da dieta hipocalórica (e de possíveis/prováveis efeitos psicológicos, mas não fisiológicos, durante o tratamento -- leia-se efeito placebo).

      Excluir
    4. A logica diz o seguinte : Se voce nao conhece nao usou nunca viu nao pode falar. Assuntos polemicos dao ibope para blogs que desejam ganhar audiencia, so que esta audiencia e nagativa. Voce repete o que voce leu de propagando contraria ao HCG, propaganda essa paga por laboratorios que nao tem interesse em cura, o unico interesse e vender drogas. Ja que voce leu bastante teoria que tal usar a pratica now? ai voce podera falar com propriedade. Ou voce acredita em uma faculdade 100 %online que forma medicos?

      Excluir
    5. Se o meu objetivo fosse ganhar audiência ou dinheiro com blog, eu com certeza não estaria escrevendo sobre nutrição. O meu objetivo não é polemizar, mas sim mostrar o lado objetivo das coisas às pessoas que buscam informação. Cada um é livre pra fazer suas próprias escolhas.

      O fato de passar pela sua cabeça que eu uso "assuntos polêmicos" para ganhar audiência só mostra uma coisa necessariamente: você pensa dessa forma. E como você mesmo(a) disse: se não conhece, não pode falar; se você não me conhece, então é melhor ficar em silêncio. Talvez você seja igual ao Pelé, segundo o Romário.

      Além disso, parte do seu comentário (in)felizimente não faz sentido: "laboratorios que nao tem interesse em cura, o unico interesse e vender drogas" (sic). Quem disse que o hCG cura alguma coisa? Nesse contexto, o hCG funciona de forma semelhante às demais drogas; ele pode tratar alguém, mas não curar a pessoa.

      Excluir
    6. Dr. Joao guilherme, o que eu quiz dizer e que voce esta escrevendo sobre um produto que voce nao conhece, como voce mesmo ja afirmou. Eu conheco o HCG ha muitos anos, provavelmente nesta epoca voce ainda estava cursando o ensino medio, entao eu li a teoria e fiz a pratica. Claro que eu nao o conheco pessaolmente, mas desde o momento que se cria um blog e aceita comentarios sem moderacao deve se estar preparado para todo tipo de respostas. Na parte onde escrevi sobre a influencia dos grandes laboratorios sobre os escritorios de regulamentacao de medicamentos, procure ler sobre o assunto que te fara todo sentido. Eu nao sou igual ou Pele, mas uma coisa e certa eu jamais mandei ou vou mandar um leitor de meu blog ficar calado. Quanto a ganhar dinheiro com o blog voce deveria sim ja que escreves muito bem gramaticalmente.

      Excluir
    7. Gabriel, não Guilherme, por favor.

      Sobre o hCG, você não leu a teoria direito, caso contrário nem teria começado a utilizá-lo na prática. Desculpa dizer isso, mas é verdade. Independentemente de funcionar na prática para algumas, ou várias, pessoas (nunca questionei isso; sempre falei do que a ciência apresenta), os estudos mostram claramente que não há diferença entre usar o hCG ou usar um placebo. Por isso que digo que, se você realmente tivesse lido bem a teoria, não teria começado a usar o hCG na prática.

      Estou preparado para as respostas, e por isso estou lendo e respondendo aos seus comentários e aos das outras pessoas. Se não estivesse, poderia simplesmente ignorar os comentários ou até mesmo deletá-los.

      Continuo achando que o seu comentário sobre os grandes laboratórios não faz sentido. Repito: o hCG, mesmo que funcione, não cura nada. A probabilidade de a pessoa voltar a ganhar peso, após o uso do hormônio, é muito grande, justamente porque não uma mudança de hábitos. Não foi a falta de hCG que fez a pessoa ganhar peso; foram hábitos ruins que levaram a esse desfecho. Ou seja, com o hCG, assim como a maioria dos medicamentos, você não está corrigindo a causa do problema, apenas remediando a situação. Dessa forma, o hCG acaba, como a maioria dos medicamentos, a se configurar como um tratamento capaz de fomentar continuamente a parte econômica do negócio. Por isso eu disse que o seu comentário não faz sentido. Exatamente porque você está defendendo o uso do hCG, que, mesmo que em menor escala, funciona exatamente da mesma forma que os medicamentos mais vendidos pelos grandes laboratórios.

      Inclusive, esse é um ponto interessante. Os grandes laboratórios só não utilizam o hCG como carro-chefe de suas vendas porque eles não teriam como respaldar cientificamente as alegações de que esse hormônio funciona melhor que um placebo. Simplesmente não tem como mostrar isso. O que não se aplica para outras drogas. Por menor que seja a relevância clínica de uma estatina sobre a saúde, por exemplo, os efeitos benéficos existem. Nesse caso, os laboratórios podem "brincar" com o risco relativo ao invés do risco absoluto, mostrando que uma droga que é praticamente ineficaz em quase todas as populações aparente fazer milagres.

      Não pedi pra ninguém se calar. Se eu quisesse alguém calado eu colocaria moderação nos comentários ou excluiria qualquer resposta que não me agradasse. E o fato de você achar que eu mandei se calar é um grande problema. Muita gente faz pelo menos uma de duas coisas: 1) não lê direito ou não sabe interpretar o que as demais pessoas falam; 2) interpretam da forma que querem. Se você voltar no meu comentário vai perceber que não mandei ninguém se calar; apenas disse que vocês fazem melhor quando não estão proliferando comentários que na maioria das vezes são sem sentido e sem fundamentos.

      Desculpa, mas essa é verdade. Já tiveram algumas (poucas) pessoas aqui nos posts de hCG, contrárias à minha opinião, fazendo comentários justos (leia-se bem fundamentados) e de forma muito mais educada que a maioria. A discussão sempre será melhor quando as pessoas estiverem afim de trocar ideias de verdade, com embasamento e sem querer defender uma causa simplesmente pra que suas ideias pré-concebidas não sejam contrariadas.

      Sugiro que todos leiam um pouco sobre dissonância cognitiva e viés de confirmação. Se quiser, pode começar aqui mesmo pelo blog:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/05/vies-de-confirmacao-nutricao.html

      Excluir
  25. João, parabéns pelo blog e pelo ótimo artigo...mantenha essa serenidade para responder tanta gente ignorante que já lê o artigo com uma idéia pré concebida e não quer aceitar que não existe milagre para emagrecer e que este tratamento somente é conveniente aos "médicos" que o vendem...esquecem que os médicos além de se beneficiar $$$(e muito) com este tratamento...depois quando a casa cai para o paciente...irão se beneficiar de novo tratando-os...parabéns por se dispor a ajudar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço a leitura! E muito bem colocada essa questão do beneficiamento posterior (ou até mesmo póstumo, quem sabe) por parte de alguns médicos...

      Excluir
  26. Então neste pseudo artigo você afirma que HCG causa Câncer???? então vamos contra-indicar a gravidez!!!! informações manipuladas isto que vejo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo.

      Em nenhum lugar no texto está dizendo que hCG causa câncer. Vamos trabalhar melhor essa leitura e interpretação de texto, ok? E para responder essa pergunta, vou copiar e colar algo que escrevi logo acima em outro comentário quase tão infeliz quanto o seu:

      "Esse argumento de que as mulheres grávidas teriam câncer porque aumentam a produção de hCG durante a gestação não pode ser comparado ao uso exógeno desse hormônio.

      Vou explicar para que você possa entender. O estado fisiológico da grávida é infinitamente diferente de uma mulher não gestante ou de um homem. As inúmeras alterações metabólicas e bioquímicas que acontecem durante a gravidez certamente fazem com que o corpo da gestante se adapte ao hCG (assim como às demais alterações hormonais que acontecem nesse período). Só que essas alterações hormonais, onde se inclui o aumento na produção de hCG, não ocorrem em homens ou em mulheres não gestantes. Enquanto que o aumento nos níveis de hCG é um processo normal para uma mulher gestante, ele é totalmente fora do do comum, ou fora do esperado, para um homem ou para uma mulher que não está gestante.

      Esse seria o grande problema de você administrar o hCG em quem não produz quantidades elevadas desse hormônio, como é o caso de qualquer pessoa que não esteja grávida (ou que não possa engravidar, como é o caso do homens). O hCG é um hormônio, e como tal ele acaba influenciando diversos processos fisiológicos; isso é esperado numa mulher grávida, mas não em pessoas não estejam carregando um bebê. Por que você acha que não é qualquer um que pode usar testosterona, estrógenos, insulina, GH etc? Porque essas substâncias são todas hormônios, todas capazes de influenciar uma infinidade de processos fisiológicos e bioquímicos".

      Excluir
  27. Olá, agora segui outra dúvida: quanto as mulheres que se submetem ao uso do hcg nos tratamentos de fertilização? elas não estão grávidas e consequentemente não tem seu organismo modificado com a situação da gestação. é arriscado para essas mulheres o uso do hcg também? uma vez que a quantidade do hormônio é bem maior do que a administrada na dieta?
    obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Essa é uma excelente pergunta!

      Primeiro fato: mulheres que engravidam consistentemente apresentam redução no risco de câncer quando comparadas a mulheres que não foram gestantes.

      Os poucos estudos que buscaram a associação do hCG com o risco de câncer (de mama, no caso) foram feitos com mulheres que engravidaram. Nesse contexto, existem evidências mostrando que maiores níveis de hCG no sangue de gestantes podem estar associados tanto à redução como ao aumento no risco de câncer de mama. Ou seja, as evidências ainda não são conclusivas acerca da influência do hCG, em mulheres gestantes, no desenvolvimento de câncer. Essa incerteza se deve provavelmente porque os outros hormônios, que também têm suas concentrações modificadas durante a gestação, podem influenciar diretamente o risco de câncer. Assim, se você não "controla" os estudos para esses "fatores de confundimento", que no caso são os demais hormônios, a tendências é que os resultados muitas vezes não sejam muito claros.

      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20713523
      http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18936438

      Não temos esses estudos para mulheres que utilizaram o hCG como forma de tratamento para a infertilidade. Porém, por um lado, como a gestação como um todo (e, nesse caso, todas as alterações hormonais que ela comporta) é o fator que parece ser mais protetor contra o câncer, em detrimento de alterações hormonais específicas, é de se esperar que mulheres que utilizam o hCG e de fato conseguem engravidar apresentem o mesmo risco que mulheres gestantes que não usaram o hCG. Ou seja, engravidar com ou sem o tratamento de hCG provavelmente apresenta o mesmo risco (seja ele positivo ou negativo).

      Porém, considerando o tamanho da dose de hCG -- como você mesmo mencionou --, acredito que as mulheres que usam esse hormônio para o tratamento da infertilidade e não conseguem engravidar podem sim ter um risco aumentado de câncer (mesmo que são seja de mama). Assim como isso pode ocorrer para outras pessoas, como homens e crianças. Mas vale ressaltar: essa é uma mera especulação baseada no fato de que alguns tipos de câncer, em homens e mulheres, fazem com que a concentração sanguínea de hCG aumenta em alguns pacientes.

      E qual o problema do hCG aumentar nesses pacientes? Não poderia ser apenas uma consequência do câncer, mas nada relacionado à sua causa ou desenvolvimento? Poderia ser; claro que sim. Porém, podemos dizer que o câncer normalmente não faz nada "à toa"; quase tudo que as células cancerígenas fazem tem um propósito. A maioria dos hormônios secretados por células cancerígenas são liberados justamente para continuar o favorecimento de crescimento dessas células. E o aumento na produção de hCG pode ser justamente isso. Ou seja, assim como o hCG derivado de células cancerígenas poderiam retroalimentar o crescimento das células, o hCG utilizado em qualquer tipo de tratamento também poderia. E é por isso gosto de imaginar, e avisar sobre, essa hipótese.

      Excluir
  28. João parabéns pelo texto e pela paciência. Trabalho diariamente nesta tarefa árdua de desfazer teorias aparentemente perfeitas de blogueiras e profissionais médicos, nutricionistas, farmacêuticos, dentre outros, que praticam a pior medicina que existe, a medicina do enriquecer rápido e inescrupuloso. Sigamos fazendo o que é correto, cuidar da saúde de quem quer ser cuidado. Aos que querem efeitos rápidos e mágicos, deixemos o nosso pesar. Foi um prazer ler seu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vicência.

      Obrigado pelas palavras e congratulações pelo trabalho. Vamos continuar fazendo o melhor para ajudar o maior número de pessoas possível!

      Excluir
  29. Bom dia!
    A minha opinião é que o João Gabriel está querendo dar ibope ao blog dele, pois se não existe nada comprovado cientificamente nem contra nem a favor da dieta, não tem como ele falar nada. Se quer falar algo, faça uma pesquisa cientifica e publique, se não passa a impressão que quer aparecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, FamíliaAlves.

      O fato do hCG não apresentar benefícios em relação ao placebo é uma evidência contra o seu uso. O hCG não precisa resultar num efeito contrário ao placebo (que, no caso, seria ganho de peso) para o resultado ser negativo. Qualquer droga ou hormônio que apresentam resultados "neutros", ou seja, nenhum benefício a mais que placebos ou tratamentos já estabelecidos, podem ser considerados como "fracassos". E essa é a realidade do hCG.

      Convido você(s) a ficar(em) ligado(s) ao blog nas próximas semanas. Em breve mostrarei claramente o que cada um dos estudos controlados dizem acerca do efeito do hCG comparado a tratamentos placebos.

      Não preciso fazer uma pesquisa científica para mostrar que o hCG não funciona, porque muitas já foram feitas. Tanto é que NENHUM estudo controlado com hCG foi feito após a década de 70. Em relação aos possíveis efeitos adversos, ninguém também precisa fazer um estudo pra mostrar isso; o simples fato de ser um tratamento que não traz benefícios adicionais é motivo suficiente para ele não ser utilizado. Sem contar que um estudo de longo prazo (já que você precisa de um prazo bem extenso pra mostrar efeitos adversos) com hCG seria extremamente caro. E de certa forma também seria "inútil"; você não precisa mostrar efeitos adversos de um tratamento se ele nem deveria estar sendo utilizado, já que cientificamente já foi demonstrado que ele não é superior a placebos.

      Excluir
  30. Prezado João Gabriel Marques,

    concordo inteiramente com você quanto à dieta do HCG ou qualquer outra forma de dieta temporária. Dito isso, sugiro pesquisar um pouco mais a respeito da substância HCG. Existe consenso na literatura médica sobre seu funcionamento há várias décadas. Nada muito novo.

    Ela funciona como um análogo do Hormônio Leutinizante (LH) que envia o sinal para os testículos para a produção endógena de testosterona. Ela é capaz, inclusive, de manter níveis suprafisiológicos de testosterona, a depender da dose administrada. Testosterona, como se sabe, aumenta a lipólise e reduz a perda de massa muscular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Guilherme.

      Conheço bem o mecanismo de ação do hCG. Mas o mecanismo de ação só é relevante a partir do momento em que o hormônio (ou qualquer outra substância ou tratamento) funciona. E, diferentemente do que você sugeriu, o hCG não funciona para a perda de peso. E isso é consenso na literatura científica há muito tempo.

      O uso do hCG pode sim ser efetivo para elevar os níveis de testosterona em pacientes que já apresentam algum problema com a produção ou ação do hormônio, como hipogonadismo, azoospermia ou queda de testosterona induzida pela idade. Nesses casos, onde realmente ocorre aumento nos níveis de testosterona (principalmente porque, nesses pacientes, as concentrações desse hormônios são baixas), o mecanismo de ação do hCG é relevante.

      Por isso, repito: no caso do hCG para a perda de peso, o mecanismo não é importante, já que os estudos mostram claramente que usar hCG ou placebo resultam exatamente na mesma perda de peso. Qual é a diferença de você considerar ou não o mecanismo de ação se o tratamento não traz o benefício teoricamente proposto?

      Se quiser, fique por perto nas próximas semanas que vou mostrar, um por um (com imagens e gráficos, quando possível), os estudos padrão-ouro -- ensaios clínicos randomizados controlados por placebo -- que avaliaram o uso do hCG para a perda de peso. Mas se quiser um "contra-prova" mais rápida, leia o segundo post que escrevi sobre o hCG e observe que os argumentos e estudos citados por quem é a favor do uso do hCG não fazem sentido algum.

      Excluir
  31. Grande João Gabriel,

    Muito bacana sua postagem acima. Achei muito interessante e bem fundamentado, exceto quanto a relação com o câncer.

    Continue escrevendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rafael.

      A fundamentação para a relação do hCG com o câncer é, sim, relativamente superficial, justamente porque os dados para levantar essa hipótese são mínimos em termos quantitativos e "fracos" em termos qualitativos. Mas não deixa de ser uma possibilidade que vale a pena ser mencionada, principalmente considerando que a ciência mostra que o tratamento com o hCG não é superior ao tratamento com placebo. Ou seja, vale sempre mencionar um possível efeito colateral sério (por menor que seja sua probabilidade de ocorrer) quando estamos falando sobre um tratamento ineficaz que é tão amplamente utilizado atualmente.

      Obrigado pela leitura!

      Excluir
  32. João Gabriel, você como nutricionista não pode receitar hCG não é? E essa dieta está sendo muito bem aceita pelas pessoas, pelos bons resultados que ela proporciona, e consequentemente mais pessoas estão indo a médicos para emagrecer e não a nutricionistas como você. Isso acaba por reduzir sua clientela e suas receitas financeiras. É por isso que vc tem aversão a dieta hCG? Poque vc está perdendo dinheiro com a evasão de pacientes???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase tudo que você escreveu é verdade, exceto o final. Em primeiro lugar, posso te dizer que o meu número de pacientes nunca diminuiu desde que eu atendo; muito pelo contrário. Em segundo lugar, eu não dependo de atendimentos como fonte de renda, então ter zero pacientes não faria diferença alguma pra mim nesse sentido.

      A minha "aversão" à dieta do hCG é decorrente do mau uso e descaso de várias pessoas e "profissionais". Eu poderia dizer justamente o contrário que você falou de mim sobre os médicos que utilizam a dieta do hCG como tratamento: só fazem pelo dinheiro. Tanto é verdade que nem mesmo as principais organizações que regem a profissão dos médicos que trabalham com o hCG reconhecem esse tratamento como efetivo. Se a ciência diz que não funciona e se as instituições médicas dizem que não funcionam (isso considerando que esses órgãos normalmente são muito contaminados com interesses políticos e econômicos), será que sou eu que estou fazendo o que faço pelo dinheiro? Eu acho, só acho, que não.

      E é curioso como os "amantes do hCG" gostam de falar as coisas sem saber. Tanto sobre o hCG como sobre as pessoas. Vou mesmo passar a chamá-los de Pelé, segundo a definição do Romário.

      Excluir
    2. hahahaha, ''calado é um poeta!" - Romário. Boa João!
      Eu acredito em tudo o que você escreveu!! eu sei que há pessoas com sérios problemas pra emagrecer, nem todo mundo consegue emagrecer com facilidade! e digo isso, porque sou assim! emagreço só pela persistência ( muitaa), fechando a boca e praticando exercícios aeróbicos ferrados! mas sabe como é né, todos preferem aquela "Pilula Jesus", o caminho mais fácil! Emagrecer demora, exercícios doem!!! E em uma geração onde queremos " tudo pra ontem" emagrecer em 40 dias parece o máximo!!! E a tal da persistência - coitada - a longo prazo não é bem vinda! Eu confio fielmente que, a adaptação de 500 calorias é que faz o real efeito do emagrecimento nas pessoas, adeptas ao HCG. Tenho até comigo, nos meus mais profundos pensamentos que os famosos bordões "não sinto fome com HCG" é o famoso " psicológico" conhece? mas claro, isso não é um estudo de caso, isso é só uma percepção MINHA! gente,com hormônios não se brinca!!!!! Foi como o João disse em um dos seus comentários, que esse hormônio é produzido na gravidez, e que ingerir o mesmo, quando o corpo não esta preparado ou na hora de produzi-lo, pode gerar sérios problemas mais pra frente.... cuidadooo!!!!
      Continue assim João, respondendo sempre com clareza e firme! abraço

      ResponderExcluir

      Excluir
    3. Olá, Maria.

      Ótimas colocações, especialmente quando você fala que essa geração quer "tudo pra ontem" e que emagrecer demora. Por isso, fica uma reflexão pra quem tem sobrepeso e deseja emagrecer: "Quanto tempo demorou pra você ganhar o peso que você adquiriu? Você acha que vai emagrecer da noite pro dia?".

      Além disso, concordo plenamente com você quando fala sobre o efeito "psicológico" que o hCG teria nas pessoas que o utilizam. Eu não duvido dos resultados, até porque as pessoas, além de usarem o hCG, passam a ter uma dieta extremamente hipocalórica. Na verdade, como já disse em resposta a vários comentários aqui no blog, esse efeito placebo -- seja de redução da fome ou qualquer outro --, seria a única explicação plausível para justificar a alegação daqueles que utilizaram o hCG e sentiram muito menos fome do que sentiam quando faziam dietas hipocalóricas sem o hormônio. Digo isso, repetindo mais uma vez, porque os estudos mostram claramente que o hCG reduz o apetite tanto quando um placebo; ou seja, não muda nada. Se a pessoa sente na prática, apenas um efeito placebo poderia explicar.

      Obrigado pela leitura!

      Excluir
  33. João Gabriel: me parece que não sabes lidar muito bem com questionamentos e críticas. Por isso mudaste o rumo da conversa, preferindo criticar o uso da língua portuguesa em vez de efetivamente discutir a dúvida de uma pessoa que se dispôs a ler tua publicação. Um dos teus comentários no post foi "(...) seria uma boa ideia alguém ingerir ou injetar ainda mais hCG em seu corpo?" Ainda mais?! Este hormônio não está presente no nosso corpo... então não temos como AUMENTAR a quantidade “natural” dele. O único ser humano que produz hCG é a mulher grávida. Segundo, se ela produz este hormônio, a gestação promove o risco de câncer?? Acho que não. O fato de células cancerígenas produzirem hCG, não quer dizer que consumir o hormônio elevaria as chances de câncer. Entendeste errado essa relação. E não fale que outros efeitos colaterais devem existir se a dieta não é nada nova e esses efeitos não foram descobertos até então. O hCG tem, sim, ajudado na perda de peso de vários pacientes. E isso com uma dieta que nem segue apenas as 500 calorias diárias. Percebo que até chegaste a fazer uma pesquisa, mas ela não foi completa. E quanto ao comentário de que "com hormônios não se brinca", realmente. Não se brinca. E ninguém está brincando aqui. Utilizados da forma correta, os hormônios são utilizados não só para auxílio em dietas, como para outros tipos de tratamento. Só para citar dois: contracepção e diabetes (temos chegado a várias descobertas em relação a este último). Além disso, nem comentarei aqui sobre “a máfia” dos laboratórios e dos altos valores cobrados para se “legalizar” medicamentos, pois entraríamos num outro patamar com a discussão. Temos que tomar muito cuidado com o que postamos na internet. Várias pessoas (e de várias idades) podem vir a ler e se sentirem confusas, ou até interromperem tratamentos. Então, por favor, aceite meu comentário e não sinta-se negativamente criticado. Deves saber que quando quiseres vir opinar ao público, estás sujeito a ele. Todos estamos aqui para repensar, aprender, pesquisar. Não queiramos ser os donos da verdade.
    P.S.: Escrevo como anônima simplesmente por ser mais rápido. Dra. Roberta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Roberta.

      Se tiver o título de doutorado, parabéns; senão, você não é doutora.

      Caso seja médica, espero que não seja endocrinologista e nem ginecologista. Não saber que os seres humanos, tanto homens como mulheres, produzem hCG seria muito triste para um profissional dessas áreas. De qualquer maneira, leia um pouco mais sobre o assunto para se informar melhor. Não precisa nem ser material científico, pois sites comuns na internet vão te fornecer essa informação.

      Eu poderia parar por aqui, mas vamos lá.

      Primeiro, a produção de hCG NÃO É EXCLUSIVA da mulher. Além disso, produção fisiológica de um hormônio é diferente de dosagens suprafisiológicas. Novamente, espero que você não seja médica, porque não considerar essa e outras questões de homeostase também não seria legal. Voltando ao assunto... A mulher gestante está com seu corpo preparado para receber o hCG, e por isso é muito pouco provável que, nesse ciclo da vida, a mulher desenvolva câncer induzido por hCG (isso se o hCG de fato for capaz de induzir câncer; diferentemente do que você diz, em nenhum momento eu afirmei isso). Quem sabe se o organismo de um homem ou de uma mulher não gestante está pronto para receber doses suprafisiológicas desse hormônio? Qual o risco disso? Essas são perguntas não respondidas pela ciência, uma vez que nunca foram testadas.

      Vale mesmo arriscar algo que você, e nem ninguém, conhece o efeito? Considerando que a administração de outros hormônios em doses suprafisiológicas muitas vezes leva a diversos efeitos colaterais, por que motivo o uso do hCG não levaria? Pensando por analogia, faz muito sentido.

      Repito: em nenhum momento eu afirmei que o fato das células cancerígenas produzirem hCG indica que esse hormônio CAUSA câncer. Por isso, errada está você ao achar que eu entendi errada a relação entre essas variáveis; errada está você ao não conseguir ler o que está claramente escrito no texto.

      Como já falei em reposta a vários comentários, não contesto que as pessoas que usam o hCG perdem peso; questiono apenas a necessidade de utilizar o hCG para essa finalidade. O comentário de que "com hormônio não se brinca" se refere que NINGUÉM saber quais são os possíveis efeitos colaterais posteriores ao uso do hCG. E eu repito o porquê de ninguém saber: isso nunca foi estudado.

      Os efeitos adversos do uso do hCG não foram "descobertos" porque não foram estudados. Faça uma busca em qualquer base de dados científicos que você vai verificar isso.

      Hormônios para tratar diabetes? Pra diabetes tipo 1, ok, a insulina é essencial -- mas nesses casos o paciente produz nada ou quase nada do hormônio. A contracepção não é uma necessidade fisiológica, então não tem entrar na mesma comparação; sem contar que existem VÁRIOS efeitos colaterais decorrentes do uso de contraceptivos hormonais; se você os desconhece, está faltando um pouco de leitura.

      Minha pesquisa não foi "completa"? Por favor, indique onde ela está incompleta para que eu possa ir mais afundo, se esse realmente for o caso. Só que eu estou falando de ciência, e não de blogs e casos da internet, ok?

      Se quiser ler sobre a "máfia" dos laboratórios, tem alguns comentários nesse ou no outro post sobre o hCG. Mas resumindo: o hCG estaria no mesmo barco, já que ele não trabalha com a causa do problema, mas sim apenas com as consequências.

      Tomo muito cuidado com o que eu falo aqui, tanto é que todos os meus textos possuem embasamento científico. Diferentemente dos profissionais que recomendam o uso do hCG, que não conseguem nem embasar cientificamente suas condutas. Pra entender do que eu to falando, te convido a ler o outro texto que eu escrevi sobre o hCG, caso ainda não tenha lido (link no final desse post).

      Ninguém é dono da verdade, nem mesmo a ciência. Porém, a ciência sabe mais do que qualquer um de nós. E ela diz claramente que o hCG não traz benefícios adicionais durante a perda de peso com uma dieta hipocalórica.

      Excluir
  34. Moçada... procurem um nutricionista, um personal qualificado que lhe passe exercícios adequados, emagreça conscientemente conciliando exercícios e alimentação. Se você acha que precisa de hCG pra emagrecer com certeza é um daqueles que come escondido dos outros achando que tá abafando. Não existe milagre não... se você consome calorias mais do que gasta com certeza vai engordar. Bora malhar, fazer trilha, pedalar, nadar, etc. Seja uma pessoa de hábitos saudáveis. Falo por experiência própria, pois já cheguei aos meus 110Kg e hoje estou muito bem com meus 78Kg. Milagre?? Não.. ralei pra caramba. E vou terminar dizendo o seguinte: vale muito a pena, pois fazendo a coisa certa meus kg nunca mais voltaram. "SE MOVIMENTEM... NADA DE hCG". Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  35. Só quem usou sabe que funciona! Falar sem usar é a mesma coisa que instrutor de academia que nunca treinou querendo dar conselho de exercícios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luiz Augusto.

      Ninguém disse que usar hCG fazendo uma dieta extremamente hipocalórica não funciona. Funciona sim. A grande questão é que os efeitos são decorrentes da restrição energética, e não do hormônio. O hCG, no máximo, ajuda no "psicológico".

      Excluir
    2. Primeiramente Luiz Augusto não seja infeliz em comparações, um profissional de Educação Física pode prescrever treinos e exercícios sim. Não precisa ser praticante para exercer a profissão e ter excelentes resultados.
      Seria a mesma coisa você exigir de seu nutricionista que ele tenha sido obeso para tratar com ele, ou seu cardiologista tenha tido um infarto.
      Por isso há perguntas e afirmações ridículas aqui, não parei para comentar nenhuma ate ler a sua publicação.

      Bem, o João Gabriel está de parabéns em ser CONTRA o uso de tal hormônio já que não tem comprovação alguma científica que seja eficaz.

      Bom, não sou um pesquisador e vim a procura de informações da dieta hCG para poder saber se faria a mesma ou não, e cheguei a conclusão que não.
      Melhor seguir com minha dieta e meus treinos afinal em 4 meses, consegui perder 20kg sem uso de hCG ou outra substância.

      Esta dieta é tentadora pois em 40 dias perderia o que gastei 4 meses, e ainda chegaria no meu objetivo de peso.

      Melhor perder peso gradativamente e assim ser realmente uma pessoal saudável, melhorando minha alimentação e meu cardio com atividades físicas.
      Melhor que ser um falso magro!

      Não adianta fazer a dieta milagrosa sem melhorar os hábitos alimentares e esportivos, e depois engordar tudo novamente ou ate mais.
      Falso magro existe, aquele que é magro mas se fizer exames apontara vários resultados negativos.

      Sou obeso pois me alimentava mau, fazia de 2 a 4 refeições por dia e hoje faço 7.
      Meus exames eram bons, hoje estão excelentes por ter perdido esses 20 kg. Na verdade perdi 35 kg, mas 15 kg iniciais foram sem acompanhamento nutricional e gastei 6 meses para perde-los.

      Meus exames eram bons pois mesmo sendo obeso sempre pratiquei esportes e em um nível bom. E não quero me submeter a bariátrica com receio de não poder pratica-los com a mesma gana de sempre, ainda mais que um deles é o Muay Thai onde se toma vário golpes na região abdominal.

      Sempre queremos o caminho mais fácil mas as vezes ele pode te trazer mais prejuízos do que benefícios, se para quem esta atras de emagrecer e esta a disposta a ''pagar caro'' talvez o hCG seja a solução, não há comprovações de sua eficacia mas se deseja arriscar e futuramente seja comprovado que o hCG tem influência no surgimento de câncer não culpe seu médico caso você tenha o mesmo, você leu que poderia ser um efeito do hCG e mesmo assim quis arriscar.
      A escolha é sua, mas talvez seja provado que tem eficiência e você tenha optado pela escolha que lhe deu resultado mais rápido. Sim resultado rápido, pois qualquer forma que já tenha comprovação que é eficiente e cientificamente sera a escolha mais correta para o momento.

      Até o momento não irei fazer a bariátrica, se eu tiver que faze-la saberei que eu fui ''fraco''. Não culparei métodos que cientificamente são comprovados que funcionam, pois sei que funcional por várias pessoas conseguirem exito por se dedicarem.

      Vou citar algo que ouvi do meu endocrinologista e li aqui citado pelo João não me recordo se com as mesmas palavras, ''é demorado emagrecer? Sim, mas você demorou quantos anos para chegar ate este peso?, então 1 ou 2 anos de dieta rigorosa não serão nada. Depois só manter hábitos saudáveis.''

      Me estendi, mas obesidade algo que sofro da vontade de ir falando muito, pois a grande maioria do ser humano só sabe culpar os outros e os obesos não seria diferente.

      Grato pela atenção e passarei a ler mais coisas no seu blog, e se eu bater minhas metas fazer nutrição ou educação física.
      Que não os faço por ser obeso, e se exercer essas profissões a primeira coisa que irei ouvir é ''Nutricionista gordo?'' ''Personal Gordo?''. Sim Luiz Augusto sofrerei preconceito por ''ser'' nutricionista gordo, ou Personal gordo mesmo tendo 7 anos de musculação e ter treinado métodos que alguns estagiários nunca ouviram falar.

      Excluir
    3. Muito bom ver mais uma opinião ponderada. E não digo isso porque concorda com minha visão, mas sim porque está claro que você olhou e analisou muito bem os dois lados da história antes de argumentar.

      Obrigado pelo comentário e boa sorte na jornada!

      Excluir
  36. muito blablabla e pouca evidência científica (1 ou 2 estudos que realmente podem ser considerados), achei a matéria não imparcial. Deveria ter mostrados dados de estudos científicos que comprovam o uso e que não comprovam. E gerar uma conclusão. Afinal de contas hoje em dia tudo que for pesquisado no google pode ser achado quando estamos falando de pesquisas. Pode haver pesquisas no google dizendo que o café ajuda nos estudos, como podem haver pesquisas que o café prejudica os estudos.
    Dito isso, não há uma tese consistente na matéria, visto que fala-se o tempo todo na matéria que o hcg não faz a pessoa perder peso e que qualquer outra dieta com 500 kcal perderia peso. Pelo que sei, o hcg não é para perda de peso, é para inibição da fome, e CONSEQUENTEMENTE perda de peso pela dieta hipocalórica.
    A respeito dos efeitos cancerígenos entre outros, oras, tudo tem efeito colateral, acho que meu anticoncepcional neste caso ganharia se comparado ao hcg. Portanto deve-se avaliar se é realmente necessário passar por isso, considerando o que é pior para a saúde, a obesidade, ou o hcg e a dieta hipocalórica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Christiane.

      Suas ponderações foram muito melhores do que as das demais pessoas que criticaram o posicionamento do texto, mas mesmo assim não se sustentam.

      Antes de qualquer coisa, leia aqui o que é uma meta-análise:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2014/12/tipos-de-estudos-cientificos.html

      Sabendo o que é uma meta-análise, é possível perceber o impacto da referência 3 que foi citada no texto. Ele foi um estudo que juntou todos os estudos individuais sobre o efeito do hCG e concluiu que esse hormônio não confere nenhum benefício adicional quando comparado a tratamentos placebos.

      Talvez você não tenha lido direito, então vou citar um trecho do meu próprio texto acima:

      "Não adianta nem procurar por evidências científicas acerca do efeito positivo do hCG na diminuição da sensação de fome, porque não há. Os estudos disponíveis sobre essa dieta dizem que o hCG não exerce efeito algum sobre o apetite [3,4]".

      Tá vendo a referência 3 citada ali? É justamente o estudo de meta-análise que concluiu, ao avaliar todos os estudos individuais, que o hCG não atenua a fome. Esse estudo mostrou claramente que o hCG não é melhor que placebo para nenhum dos parâmetros defendidos por quem é a favor do uso desse hormônio.

      Resumindo: os "dados de estudos científicos" que você pede estão aí. A referência com a fonte original dos dados está aí para quem quiser ler. Se não conseguir acesso ao artigo completo, basta pedir que forneço sem problema. E se quiser os estudos individuais citados na meta-análise, tenho todos eles; é só pedir também (em breve farei um texto expondo os resultados de cada um deles; se quiser acompanhar, fique à vontade).

      E se for pra criticar, tente fazer com propriedade, por favor.

      Excluir
  37. C a pratica demonstra um resultado útil contestado pela ciência, a pratica deve ser mantida e a ciência revisada.
    HCG funciona

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Funcionar, o hCG "funciona". O que a ciência diz é que ele funciona exatamente igual a um placebo. Só isso.

      E ter o mesmo resultado que dieta hipocalórica + placebo vale a pena, Hugo? Alguém conhece os efeitos colaterais no médio ou longo prazo do uso do hCG? (Dica: não, porque não há estudos sobre isso). Principalmente considerando que existem estratégias que com certeza são 100% seguras e efetivas no longo prazo, justamente por combaterem a causa, e não apenas o "sintoma" (o excesso de peso, no caso) do problema.

      Mesmo assim, qualquer efeito na prática que o hCG venha a ter só poderia ser decorrente de um efeito placebo. Isso é algo que você pode controlar em um estudo, ao ter um grupo controle e também ao fazer o cegamento de pacientes e pesquisadores -- mas não tem como fazer na prática.

      Por isso, sugiro que os médicos troquem o hCG por uma solução salina, por exemplo. Os pacientes continuarão tendo os benefícios, pelo menos a curto prazo, da perda de peso. Os médicos poderão continuar a cobrar o preço que quiser pelo tratamento. Pelo menos as pessoas não estarão expostas aos [desconhecidos] riscos do hCG exógeno.

      Excluir
  38. Eu tenho a mente aberta João e entendo o seu ponto d vista mas Nw tem como negar q o hcg inibe a fome durante a dieta.
    Eu pesquisei muito e vendo pontos d vista iguais ao seu tentei faser a dieta sem o hormônio e adivinha É IMPOSSÍVEL
    Sei q Nw tem pesquisas q comprovem esse efeito secundário mas é
    impressionante comer tão pouco e Nw sentir fome inclusive quando os receptores começão a ficar saturados e o hormônio menos efetivo depois de um tempo administrando a fome começa a vir.
    Mas C for possível postar pesquisas d fontes variadas e confiáveis eu agradesço afinal o corpo humano causa muitas controvérsias e temos q estar sempre atentos
    MUITO OBRIGADO PELA OPINIÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não discordo das pessoas que afirmam que usaram o hCG e relatam diminuição no apetite. Porém, esse é um efeito que não existe nos ensaios clínicos randomizados.

      Repito: em um ensaio clínico randomizado você pode equiparar o efeito placebo, algo impossível de fazer na "vida real". Essa seria a única explicação, uma que, inclusive, ninguém que é favor do hCG jamais conseguiu derrubar.

      Caso você tenha outra explicação, estou aberto a ouvir. Porém, não podemos achar que o hCG, mesmo claramente não apresentando efeitos diferentes do placebo nos estudos, faz "mágica" na vida real e tem super benefícios. Desculpa, mas isso seria tolice.

      Excluir
  39. consumindo apenas 500 calorias por dia, estranho seria se não funcionasse. E sinceramente eu concordo com João com hormônio NÃO se brinca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Pamela.

      O que parece não funcionar bem é tentar explicar, por meio da razão, as ideias que foram expostas no texto. A dissonância cognitiva parece mexer muito com as pessoas.

      Excluir
  40. Bem, eu fiz a dieta do HCG em 2013, por 40 dias e foi um sucesso! Jamais me senti tão bem na vida antes... Detalhe: eu não fazia nenhum exercício físico no período.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma vez: não é que a dieta não funciona. A grande questão é que o hCG não tem nada a ver com os resultados (a não ser por um possível efeito placebo). Só isso.

      Excluir
  41. Tenho Hipotireoidismo e tomo levotiroxina sódica 125mcg diariamente. Eu posso posso tomar o hcg? Isso vai atrapalhar na minha ingestão de hormônio diária, ou não interfere em nada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patty.

      Como não sou a favor do uso do hCG para fins estéticos, a primeira coisa que eu diria é: se esse for o objetivo, pense bem antes de usar o hormônio.

      Porém, como a sua situação pode ser outra, vamos lá. A literatura científica sugere que o hCG possui um efeito estimulante na tireoide, podendo atuar no aumento da produção dos hormônios T3 e T4. Ao mesmo tempo, concentrações elevadas de hCG podem levar à diminuição nos níveis de TSH.

      Não consegui encontrar nas bases de dados científicos qualquer estudo que testou diretamente o efeito do tratamento com hCG sobre a função da tireoide. Porém, considerando que você já não possui uma fisiologia normal desse órgão (já que usa tiroxina exógena), existe sim a possibilidade do hCG alterar o equilíbrio entre os hormônios tireoidianos e, assim, prejudicar o seu caso.

      Essa é a teoria. Pra saber como realmente aconteceria na prática só testando mesmo. De qualquer maneira, pelo menos agora você sabe que podem haver uma influência entre os dois eixos hormonais.

      Excluir
    2. Olá João, postei aki há um pouco mais de trinta dias. Sou consciente das críticas do hcg. Mas não troço os possíveis efeitos colaterais, pela a situação depressiva e obeso q eu estava. Em 30 dias emagreci 13 kg com o uso do hcg e dieta de 500kcal. Não terminei o tratamento ainda, pois o plano de hcg foi 60 dias, falta apenas 25 dias. Esse trem de dieta protéica, não aguento mais, oh saudade de arroz, massas, carboidratos em geral. Mas uma coisa sei, sou outra pessoa, voltei ao convívio social, consigo encontrar roupas q sirvam em mim. Para quem estava com obesidade mórbida, hj estou perto da obesidade 1. Para quem não sabe esse cálculo de obesidade é de acordo com o IMC crescente: normal, sobrepeso, obeso 1, obeso 2, obeso mórbido. Logo logo término esse trem de hcg ruim ou bom não volto a usar esse trem mais. Posso dizer q o hcg foi apenas o pontapé q eu precisava para viver novamente. Só os gordos, bem gordos sabem o q eu estou falando. Ainda preciso perder mais 23 kg para o peso ideal. Ai me pergunto, como vai ser quando acabar hcg? Não sei a resposta, mas uma coisa eu sei, vi q ainda tenho esperança de voltar aa ter o peso ideal. Mas uma coisa sei, hcg ou tarjas pretas, espero q nunca mais....

      Excluir
    3. Olá, Philipe.

      Primeiramente, gostaria de agradecer pela opinião sincera e ponderada.

      A minha "briga" contra o hCG é que ele simplesmente não traz benefícios adicionais à dieta hipocalórica que é utilizada no protocolo.

      Mesmo não sendo a favor do uso do hCG, confesso que fico feliz de ver pessoas que tiveram mudanças consideráveis no peso e, consequentemente, em suas vidas após o tratamento com esse hormônio. Melhor ainda quando é alguém que, como no seu caso, não descarta a possibilidade de efeitos adversos a partir da utilização do hCG. E melhora um pouco mais quando a pessoa tem consciência de que o uso do hCG não deve ser, no máximo, o passo inicial da jornada.

      Espero que você tenha sorte para atingir o seu objetivo!

      Excluir
  42. Concordo com tudo que li ! E acreidito que Pessoas que tem preguiça de se exercitar e comer sausavelmente e tomam refrigerante ao invez de agua que procuram dietas como esta,nao ha dieta milagrosa .

    ResponderExcluir
  43. Perdi mais de 30 quilos com reeducação alimentar e academia "todos" os dias.

    ResponderExcluir
  44. João eu até entendo o seu ponto de vista... Mas não precisava julgar o português das outras pessoas, nem todo mundo aprendeu O Português correto em uma faculdade. Infelizmente a educação é precária nas escolas, eu nunca fui de fazer dieta nenhuma, não consigo, é como a Bruna falou, eu acredito na mudança de hábitos alimentares e exercícios, eu não consigo consumir apenas 500 calorias, vai ser difícil mudar minha alimentação, mas, vou fazer pela minha saúde. Só por Deus todos esses comentários! HCG Não obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Andressa.

      Questiono o português como uma forma de falar sobre o comprometimento do profissional com quem está acompanhando o seu trabalho. É dever do profissional reconhecer que não está fazendo o melhor para o seu público.

      Se não se sente confortável ou não tem proficiência em escrever, basta escolher outra plataforma para divulgar o trabalho -- o que não faltam são opções. Além disso, falar sobre a precariedade do ensino público não justifica a falta de comprometimento com um texto minimamente bem escrito, por dois motivos: 1) A maioria das pessoas que chega ao ensino superior, ainda mais para se formar como médico, passou por escolas particulares; 2) Mesmo com a formação em escola pública, praticamente todas as pessoas com formação superior tem condições de melhorar um aspecto fundamental como a escrita.

      Boa sorte e obrigado pela leitura!

      Excluir
  45. Dr. Albert Simeons, médico, britanico, cientista, sério, passou quase 40 anos pesquisando sobre o HCG.
    João Gabriel Marques, nutricionista (queria ser médico mas nao conseguiu passar no vestibular) blogueiro (devia estudar mais e passar menos tempo na internet querendo chamar a atenção se autopromovendo)
    As faculdades de nutrição seguem todas a mesma cartilha da piramide alimentar que ja esta ultrapassada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo.

      Se você tivesse lido alguma coisa do blog, saberia que nada aqui tem a ver com a pirâmide alimentar.

      Engraçado que, nesses 40 anos, o Simeons nunca publicou um ensaio clínico randomizado controlado -- padrão-ouro de evidência -- sobre o hCG. Isso é fazer ciência? Isso é ser sério?

      E para você, se quer criticar, não use falácias. Não adianta falar sobre o que eu queria ser ou sobre o que eu faço. Critique o conteúdo que eu escrevi em vez de utilizar falácias ad hominem como essas. Eu sei que você não conseguiria refutar os argumentos que eu apresentei, porque no caso do hCG a ciência mostra que isso não é possível. Mas o mínimo que você deveria fazer é tentar.

      Excluir
    2. Não adianta criticar oq você escreveu... você não aceita criticas....

      Excluir
    3. Olá, junebrios.

      Não é uma questão de aceitar críticas, mas sim de saber ou não argumentar. O seu comentário abaixo, assim como o comentário acima, não apresenta bons argumentos. Longe disso. E assim fica difícil mesmo.

      Excluir
  46. Interessante, eu estou fazendo a dieta e INIBE O APETITE SIM. e outra coisa, já sei q vc vai vir com milhões de artigos dizendo que não, pois percebi que comentários contra seu artigo vc não aceita.... nem sei pq to postando aqui. mas enfim A DIETA FUNCIONA SIM, NÃO TE DEIXA COM FOME, É BEM TRANQUILO DE FAZER... VC NÃO SENTE FOME.... ENTÃO NÃO FALE DO QUE VOCE NUNCA FEZ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A inibição de apetite ocorre com o hCG, mas é igual a usar um placebo. E a fome que você sente também é exatamente igual a utilizar um placebo.

      Talvez você não tenha lido direito os comentários. A questão não é o hCG em si "funcionar" ou "não funcionar", mas sim que o seu efeito é igual ao de um tratamento placebo.

      E ainda bem que nunca precisei fazer uso de hCG, e muito menos recomendar a pacientes.

      Excluir
    2. Me diz a ausência de fome é placebo, mas o que me diz dos efeitos do corpo?
      Sem fraqueza se dor de cabeça, 40 dias é muito tempo de placebo

      Excluir
    3. Veja alguns estudos sobre efeito placebo que logo verá que 40 dias não são nada.

      Excluir
  47. olá concordo com o João Gabriel qualquer dieta com baixa calorias perde peso, principalmente essas restritivas que tem graves consequências de efeitos colaterais. Porém as pessoas preferem buscar referencia em videos que profissionais desvalorizam algo que tem fundamento cientifico para fazer algo mais pratico que no entanto futuramente pode ocorrer danos a saúde, o conselho é procurar por nutricionista que faz a dieta conforme sua necessidade não privando de tudo e com a média de calorias necessárias para o dia a dia e pratica de atividades física ( porque sem esforços não há resultados ) pode ter resultados porém pode ter consequências também! parabéns pelo post

    ResponderExcluir
  48. sera que o aumento da produçao do hcg no cancer que vc menciona não estaria associado ao corpo entender que o tumor talvez seja o engano do corpo entender que o tumor que no caso vc menciona; é o coriocarcinoma ; seja uma fecundação e ele tente manter o estado lúteo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Eu não tenho certeza se entendi a pergunta, então, caso eu não responda de acordo e você queira reformulá-la, fique à vontade.

      Não são outras células do corpo que produzem o hCG nesses casos, mas sim as próprias células cancerígenas. Por isso, não é o corpo que está tentando entender o que está acontecendo para gerar uma resposta X ou Y. Na verdade, tudo indica para uma das seguintes possibilidades:

      1) O hCG seria um hormônio, produzido pelas próprias células cancerígenas, que poderia estimular o próprio crescimento tumoral, possivelmente num processo de feedback positivo. Nesse caso, aqui seria um problema usar hCG exógeno como tratamento para a perda de peso.

      2) O hCG é um simples produto final, sem um objetivo específico, do metabolismo de algumas células cancerígenas. Eu particularmente acredito que essa hipótese é pouco plausível, uma vez que o metabolismo de qualquer célula, e provavelmente ainda menos o de células cancerígenas, não produz hormônios "só para produzir"; é um processo muito dispendioso para ser desperdiçado dessa forma. Ao contrário, os hormônios de maneira geral são produzidos de acordo com a demanda vigente, como seria o primeiro caso que mencionei logo acima.

      Excluir
  49. Fico abismado de ver blogs, sites, etc e etc fazendo comentários sem ao menos saber o que está falando. Pega estudos criticando o HCG mas não escolhe estudos que o defendem.

    Quer dizer que engravidar causa risco de câncer? (já que a mulher produz este hormônio na gravidez.) Estudos defendendo e criticando a substância existem aos montes e, estrategicamente, quando queremos ir contra, colocamos somente os que nos "interessam".

    Quer formar opinião? Apresente estudos prós e contras e deixe a audiência decidir se quer ou não fazer o uso. Inúmeros remédios com efeitos colaterais são vendidos e utilizados (esses sim causam inúmeras patologias e efeitos colaterais) para emagrecimento e por que não a crítica?

    Enfim... "Uma nova verdade científica não triunfa com a convicção dos seus opositores ou através do esforço em fazê-los ver a luz; triunfa, geralmente, porque esses opositores finalmente morrem e cresce uma nova geração mais familiarizada com ela."

    Abaixo, o link de um médico sério explicando e refletindo sobre o uso seguro do HCG.

    https://www.youtube.com/watch?v=XhSRaU4o3jA


    POSICIONAMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA SOBRE O USO DO HCG.

    http://sobraf.org/downloads/posicionamentoHCG.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leandro.

      Curioso que o médico sério que você cita é questionado a todo momento sobre seus comentários e condutas, inclusive em redes sociais. E sei disso muito bem porque ele é de Brasília, então já ouvi falar sobre em vários círculos diferentes.

      Além disso, é muito fácil falar em um vídeo sem de fato mostrar referências. Quero ver um texto bem escrito, mostrando os resultados dos estudos, para realmente sugerir que o hCG tem efeitos positivos quando comparado a placebos.

      Em relação ao posicionamento que você cita, só tenho uma coisa a dizer: usar essas opiniões de sociedades ou órgãos similares nunca será um bom argumento, e normalmente cai no caso de falácia de apelo à autoridade. O que mais tem por aí são instituições dando recomendações questionáveis ou (absurdamente) erradas.

      E não houve seletividade de informações no meu texto. A única meta-análise sobre o assunto, que inclui todos os ensaios clínicos já publicados sobre hCG, foi a base para discussão. Nela, os autores discutiram os únicos dois estudos (se não me engano esse é o número) que já mostraram algum efeito positivo, seja na fome, na sensação de bem estar ou na perda de peso. Todos os outros estudos da análise, que são mais de 10, mostram ineficácia do uso do hCG.

      Adicionalmente, sugiro a leitura do outro texto que escrevi sobre hCG (link ao final desse post). Se você já leu, não prestou -- ou não quis prestar -- muita atenção. Nele, eu mostro como o médico que você citou, em seu próprio site, cita artigos que originalmente mostram a INEFICÁCIA do hCG como “evidência” de que esse seria um hormônio com efeitos positivos no emagrecimento.

      Eu até recomendaria que você acessasse o site dele para ver com os próprios olhos. Porém, fazendo uma checagem nesse exato momento, vi que, por exemplo, os dois artigos que ele citava como “a favor do hCG”, mas que na verdade eram contrários ao uso do hormônio, foram apagados das referências. Por que será?

      Excluir
  50. Absolutamente contra indicado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia.

    http://www.endocrino.org.br/media/uploads/PDFs/posicionamento_oficial_hcg_sbem_e_abeso.pdf

    ResponderExcluir
  51. Boa noite,
    O uso deste hormônio para emagrecer pode causar complicações pra engravidar no futuro ou então complicações durante ou pós gestação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Não se sabe. Não existem estudos que avaliaram se o uso prévio de hCG, sem o objetivo de facilitar a concepção, pode influenciar negativamente a chance de engravidar ou o risco de complicações relacionadas à gestação.

      Porém, existem algumas evidências mostrando que o uso de hCG para aumentar a fertilidade em um determinado ciclo menstrual pode influenciar negativamente a fertilidade em ciclos menstruais posteriores. De qualquer maneira, não se sabe se esse efeito seria apenas pontual (sumindo após o uso do hCG) ou se poderia durar por um tempo mais prolongado.

      Excluir
  52. Gostaria de saber se eu que tomo remédio antidepressivo posso fazer o HCG? Engordei 6 kilos e tá difícil de eliminar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marta.

      Se você pensa em usar o hCG, o seu médico é a pessoa mais indicada a ser perguntando sobre a possibilidade de simultaneamente utilizar ou não um medicamento antidepressivo.

      O que eu posso dizer é que os 6 kg que você ganhou podem ser perdidos a partir de várias tipos diferentes de mudanças e padrões alimentares. E sem risco algum, o que não pode ser garantido com o hCG.

      Excluir
  53. Se você publica um artigo, mas não sabe receber críticas ou pontos de vistas diferentes do seu, fico um pouco complicado desenvolver o raciocínio. Você refuta qualquer evidência citada e até mesmo os casos empíricos, se atendo mais à teoria que a prática. Entendo que você defenda seu posicionamento contra o hcg, mas refutar o resultado prático de várias pessoas chamando de placebo e com esse seu ar de arrogância nos faz termos uma antipatia por sua pessoa. Achei o que vc falou da Dr., sobre ter ou não doutorado, super desnecessário e rude. Parece uma criança mimada se defendendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Você e qualquer outra pessoa tem o direito de achar o que quiserem, mas a discussão que prezo é baseada em argumentos sólidos. O que posso dizer em relação ao seu comentário é que literalmente nenhuma evidência foi apresentada, em nenhum outro comentário, que poderia minimamente demonstrar eficácia do hCG. Não dieta do hCG (porque isso inclui a dieta hipocalórico), mas de um efeito adicional do hormônio.

      Os resultados que as pessoas relatam na prática não estão ausentes nos estudos. As pessoas que usam o hCG nos estudos também perdem peso. A questão é que o efeito que é observado é da dieta hipocalórica, e não do hCG; os grupos experimentais que usam o placebo perdem exatamente o mesmo peso que as pessoas que usam o hCG. Qualquer outro efeito aparentemente benéfico visto na prática, como maior sensação de bem-estar, a princípio só pode ser explicado por efeito placebo ou pela possível associação de outros hormônios que às vezes são aplicados junto ao hCG. Enquanto alguém não mostrar que esse não é o caso, essa é a verdade mais provável. Os diversos estudos com hCG não permitem concluir qualquer coisa diferente do que eu venho falando.

      Se você acha que é arrogância um posicionamento assim, a verdade é que você, assim como várias outras pessoas que passaram por aqui, querem ignorar a ciência e simplesmente seguir o que suas próprias ideias pré-concebidas ou condicionadas pensam. Não é assim que se faz ciência e não é assim que se usa a lógica para tentarmos descobrir o que de fato é a verdade. A imparcialidade é imperativa.

      Quando vier alguma crítica com argumentos sólidos, ficarei mais do que feliz em discutir em alto nível. Não é uma questão de diferença de opiniões, mas sim de argumentos válidos e argumentos não válidos. Só existe uma verdadeira diferença de opiniões quando os argumentos são válidos em ambos os lados -- o que não é o caso de quem defende o hCG.

      Por exemplo, se 100 pessoas comentarem que usaram o hCG e começaram a conseguir voar, alguém que é contrário a essa "opinião" é alguém que não está aceitando críticas, é isso? Se refutar "opiniões" como essa, sem uma base sólida, é não aceitar pontos de vistas diferentes, estamos todos perdidos.

      Excluir
  54. Eu, meu esposo, amigos fizemos a dieta com HCG e lhe digo, contra fatos não existem argumentos. Você faz apenas suposições. Não discuto com Nutricionista, diante da inteligência inquestionável de tantos médicos renomados como Dr. Lair Ribeiro, Dr. Sorrentino, Dr. Ícaro e por aí vai... renomados, estudiosos e pesquisadores, que com certeza não indicariam a dieta se ela não tivesse tantos resultados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contra dinheiro, efeito placebo, sugestionamentos e uso de outros hormônios também não existem argumentos.

      Excluir
  55. http://projetovivahcg.blogspot.com.br/2015/05/dr-victor-sorrentino.html?m=1
    Pra quem quer saber um pouco mais sobre o HCG, texto ótimo, esclarecedor!😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou até deixar o link. A todos que acessarem, prestem atenção no seguinte:

      Referências científicas normalmente não são fornecidas; quando são, são referências que não dão suporte algum ao uso do hCG.

      Falei bastante sobre tais referências no texto seguinte a esse, "O fantasmo do hCG continua vivo", e como as pessoas que são a favor do hCG citam estudos que mostram a NÃO EFICÁCIA desse hormônio para afirmarem que o tratamento possui um efeito além da dieta hipocalórica.

      Excluir
  56. Na verdade a metanálise que você descreveu é de 1995, foi feita de modo estatisticamente errado (quem pública em revistas científicas sabe disso!) e você não colocou a conclusão completa. Era não recomendado principalmente porque em 1995 o hcg era extraído da urina de mulheres voluntárias. Hoje é feita em laboratório com toda segurança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      A parte estatística é irrelevante nesse caso, porque os estudos incluídos, quando analisados individualmente, não mostram eficácia do hCG. Não precisamos saber a conclusão da meta-análise especificamente, mas sim saber o que a literatura como um todo tem a apresentar sobre a eficácia ou não do tratamento.

      Além disso, a conclusão dos autores não necessariamente representa a verdade completa. O mais importante é sabermos o que cada um dos estudos individuais demonstrou para entendermos o que as evidências, quando analisadas por completo, realmente têm a dizer sobre o hCG. Nesse sentido, não há dúvidas: mais de uma dezena de estudos mostram efeitos nulos do tratamento hCG em relação a placebos.

      A questão do hCG não é de onde ele vem, e não tem nada a ver com segurança. O que importa são as dosagens e a eficácia de tais dosagens. Mesmo sendo produzido em laboratório, a estrutura molecular do hCG continuaria sendo a mesma. Se com a dosagem X não se observa um efeito diferente do placebo, não vai ser a origem diferente do hCG que vai mudar esse resultado.

      Excluir
  57. e aí? a dieta do HCG já está muito mais divulgada e tudo que acontece com o organismo são as melhoras de níveis de colesterol e diabetes, e tem MÉDICOS nutrólogos incentivando. O que me diz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Na prática, o protocolo que emprega o hCG funciona. Não por causa do hormônio -- ele por si só não leva a nenhum efeito benéfico direto. Os resultados positivos são decorrentes da dieta hipocalórica, como os mais diversos ensaios clínicos randomizados duplo-cego mostram. A perda de peso, que vai acontecer por causa da dieta hipocalórica, naturalmente normaliza parâmetros metabólicos e pode até colocar o diabetes em remissão.

      O máximo que o hCG faria, porém, é instituir um efeito placebo em parâmetros como saciedade e bem-estar. Mas o hormônio está lá, e faz parte do protocolo. Como no tratamento individual não é possível fazer a dissociação entre efeito da dieta e efeito do hormônio, as pessoas acreditam que o principal agente é, de fato, o hCG -- quando claramente não é.

      Ou seja, se você usa o hormônio e vê efeitos benéficos, mesmo que esses resultados não tenham nada a ver com o hCG, o protocolo vai continuar sendo recomendado. Agora imagine substituir o hCG por injeções de água (que é basicamente o placebo utilizado nos estudos), sem informar nem aos pacientes e nem aos médicos dessa alteração. Se um paciente se submete ao protocolo achando que está fazendo uso do hCG, que na verdade é apenas água, ele vai ter exatamente os mesmos resultados. Assim, pacientes e profissionais vão continuar achando que qualquer efeito “fora do comum” é do hormônio -- e não apenas da dieta.

      A literatura científica já demonstrou consistentemente que o hCG tem efeitos nulos no tratamento, a dieta não. A dieta é o fator responsável pelos benefícios. O uso do hCG é tão ineficaz que estudos com o hormônio não são feitos desde a década de 70.

      Vale ressaltar também que existem médicos que adicionam outros hormônios junto ao hCG nesse protocolo. Aí sim é possível que efeitos adicionais sejam obtidos. Usando testosterona ou análogos desse hormônio, por exemplo, mesmo em baixas doses, é possível que exista uma preservação mais considerável de massa magra -- e até um maior efeito na perda de gordura corporal.

      Por fim, não podemos nos esquecer da parte que envolve interesses financeiros. Se o tratamento com o hCG não fosse lucrativo -- tanto pela demanda como pela custo --, ele não seria tão difundido. É mais ou menos como a indústria farmacêutica. É claro que existem diferenças entre os dois casos, mas essa indústria só é forte como é por causa de toda a movimentação financeira que há por trás.

      Excluir
  58. Bem... li tudo até aqui e tenho algo a dizer.
    Tive um carcinoma grau III em 2005, seguido de quimio.
    A minha primeira declaração é: o câncer é feio. É mau. É triste. Entra silenciosamente.
    TUDO, mas TUDO o que seja minimamente possível fazer para evitá-lo e aconselhável.
    Sou uma sequelada com menopausa precoce e hipotireodismo. Meu corpo não é capaz de produzir nada de jeito.
    Segunda declaração: os hormônios regulam tudo no corpo humano - a fome, o humor, o cansaço, a pele, as unhas, os cabelos. Já é difícil a coisa funcionar bem, sem sermos nós a mexermos num equIlibrio tão tênue. E vamos nós ingerir hormônios propositadamente?
    Terceira declaração: mesmo com todos os problemas inerentes às disfunções hormonais causadas pela menopausa e pela hipo (e acreditem que são muitas, viver fica difícil) NENHUM MÉDICO me receitou reposicao hormonal, devido ao risco. Nem mesmo hormônios sintéticos bio-idênticos.
    Quem lida com câncer, caga-se de medo. Ele não perdoa. Quando não mata, deixa sequelas.
    Qualquer sombra do que quer que seja cancerígeno deveria fazer apitar as sirenes todas.
    Tenham juízo, saúde e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar sua visão, Val.

      Excluir
    2. De nada. Espero ter ajudado.
      Às vezes um testemunho em primeira pessoa pode servir para despertar consciências.
      Entrei aqui por acaso, atraída por informações sobre o jejum intermitente - porque com a hipo o peso foi saindo do controle, aumentando pouco a pouco e consistentemente. - e deparei com isso.
      Haja bom senso e ponderação. O corpo é um só 😌
      Amem-se e cuidem-se.

      Excluir
  59. Joao Gabi meu broder voce mandou bem no artigo e nas respostas.
    A verdade é que as pessoas não aceitam quando seus mitos sao desmascarados e ao acabar com a teoria do HCG voce atinge o ego de usuarios e o bolso de profissionais que vivem da prescriçao.
    Nenhuma pergunta das que li ate dez/2015 se predispôs a trazer um estudo para desfazer a conclusão do efeito placebo entao ficou clara a intencao de ganhar no grito, logicamente infrutifera pelos seus comentarios bem fundamentados.
    Vamos a minha duvida: voce faz referencia a novos artigos sobre o HCG ao longo das perguntas entao queria saber se há algo de novo em 2016, inclusive a título de interferência da Anvisa ou da comunidade medica no Brasil sobre o assunto que ao meu sentir tem ganhado proporçoes cada vez maiores.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Não há estudos originais (sem contar os estudos de revisão ou relatos de caso) sobre o hCG desde a década de 70, muito provavelmente porque, desde essa época, já se sabe que não é um tratamento eficaz.

      Fora isso, duas das mais importantes instituições médicas relacionadas a essa história, SBEM e ABESO, não são a favor do hCG. Comentei sobre elas no meu outro texto sobre hCG:

      http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2015/07/o-fantasma-do-hcg-continua-vivo.html

      Existem instituições menores que apoiam o uso do hormônio no tratamento da obesidade, como a SOBRAF. Mas isso não importa muito, porque as evidências sobre a eficácia do hCG são bem claras.

      Até onde sei, a Anvisa não proíbe a comercialização do hCG. Mas isso também não quer dizer nada...

      Excluir
  60. O uso da gonodotrofina carionica por si só não trás resultado pratico pois a vantagem do uso desse hormônio é a perca de apetite, o que realmente acontece... não vou nem discutir o perigo de uso a longo prazo do hormônio, porem algumas observações devem ser lembradas, dieta sem carboidratos (fase 2) não funciona para todas as pessoas pois algumas pessoas que assim como eu tem tonturas crônicas com essa dieta, isso entre outros efeitos que a falta de açúcar no sangue pode fazer.
    Pelo medo do efeito sanfona que a ingestão de hCG com açúcar pode fazer resolvi parar a dieta no meio da fase 2 e os sintomas desapareceram no outro dia após voltar a ingestão de carboidratos. Ouvi dizer que ela tem ótimo efeito secundário para alongamento por tração porem a dosagem não é 125ui/dia e sim 5000un/15dias de uma vez.

    ResponderExcluir
  61. Mesmo assim esqueci de registrar, parabéns, ótimo post, muito completo e realmente educacional. O que pode funcionar para uns não funciona para outro, isso o testo deixou bem claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário.

      Só um detalhe a acrescentar: os estudos não mostram efeito do hCG sobre o apetite, que fique claro. Se na prática acontece, pode ser um efeito placebo ou por algum outro motivo (outro hormônio usado em conjunto, por exemplo).

      Excluir
  62. Oi João! Parabéns pelo texto e pela paciência.
    Pessoas próximas a mim indicaram essa dieta, por terem feito, relatando ótimos resultado, mas conhecedor do "poder" do efeito placebo e dos riscos de se utilizar qualquer medicamento, fui buscar informações na internet. Iniciei por uma busca não científica e vi vários artigos do Globo, Veja e Isto é, criticando a Dieta e acabei me deparando com o seu Blog. Com certeza não vou usar o hCG e vou ralar para perder peso, como já pretendia fazer.
    Porém, pela minha curiosidade científica, vou me aprofundar em indexadores científicos de base de dados. Alguns aspectos me despertaram a curiosidade, já que há muitos relatos de perda de apetite e fiquei imaginando se realmente isso não possa ser proporcionado por nenhuma outra substância contida na mesma cápsula. Verifiquei que as cápsulas são, na verdade ativadores de hCG e contém uma dezena de substâncias. Sabe alguma coisa a respeito dessa possibilidade?
    Abç
    Mário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mário.

      Realmente não sei nada sobre essa questão. Pra falar a verdade, não sabia da existência de "cápsulas de hCG". Mas, caso as pessoas estejam utilizando o hCG (ou "ativadores de hCG") dessa forma, é um aspecto que poderia explicar o porquê de tanta gente, na prática, referir um efeito de redução na fome.

      Mesmo assim, a maioria das pessoas, até onde sei, usam o hCG na forma injetável. Tenho informações de que, junto ao hCG, outras drogas ou hormônios às vezes são administrados. E essa, como mencionei em alguns comentários, também é uma possível explicação para os efeitos "positivos".

      Excluir
  63. Boa tarde. Há algum texto sobre FOSFOETANOLAMINA, efeito placebo. Já fez algum estudo sobre os estudos dessa substancia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Não há nenhum textos sobre fosfoetanolamina nesse blog. Você gostaria de saber dos efeitos dessa substância em qual contexto? De algum problema de saúde ou de algum benefício específico?

      Excluir
  64. Eu fiz a dieta do HCG e o resultado foi impressionante, e mesmo depois de voltar a dieta normal meu peso permaneceu estabilizado, diferente das outras dietas que sempre ao terminar engordava novamente. O Doutor Simeons estudou os efeitos por 40 anos, como você diz que não há estudos sobre o HGC?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      O Simeons não estudou o hCG. Ele trabalhava com o hCG, mas aplicando o tratamento em pacientes, e não na área da pesquisa -- muito menos a pesquisa não enviesada.

      E os estudos existem. Se você prestar atenção, mencionei um estudo do tipo revisão sistemática (meta-análise) que incluiu todos os estudos controlados publicados sobre o hCG. E a conclusão foi que não existe um efeito do hCG sobre o emagrecimento quando comparado a tratamentos placebo. Nesses estudos, o efeito observado na perda de peso foi da dieta hipocalórica, não do hCG.

      Não duvido que você ou qualquer outra pessoa não tenha obtido uma perda de peso significativa com o tratamento do hCG. A única coisa que não podemos concluir é que o efeito foi especificamente do hCG. Simples assim. Causas mais prováveis: efeito placebo ou administração concomitante de outros hormônios.

      Excluir
  65. Oi eu fiz o tratamento com o HCG a um ano e meus resultados foram excelentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Ótimo. Espero que os resultados sejam mantidos e que ocorra tudo bem no futuro. A questão é que, mesmo com o tratamento como um todo funcionando, as evidências mostram que o hCG especificamente não possui nenhum efeito benéfico.

      Excluir
  66. olá gostaria tanto de fazer a dieta do hcg mais depois de ler este texto fiquei um pouco com receio,, que tipo de câncer o hcg pode ocasionar? agradeço a resposta e por sua atenção desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samara.

      Na verdade, não existem evidências diretas associando o uso do hCG, como na dieta do hCG, ao risco de desenvolvimento de câncer.

      O que acontece é que, alguns tipos de câncer, quando já estabelecidos, naturalmente produzem hCG. Isso sugere que, de alguma forma, o hCG das células cancerígenas é produzido para ajudar no crescimento do próprio câncer; basicamente tudo que as células tumorais produzem, na verdade, tem essa finalidade de promover seu próprio crescimento. E com a produção de hCG não deveria ser diferente, até porque esse hormônio tem justamente essa funcionalidade de facilitar o desenvolvimento celular.

      Os principais tipos de câncer em que níveis elevados de hCG podem ser encontrados incluem de testículo, pâncreas e vesícula biliar. Mas o aumento na produção de hCG pode ser encontrado em diversos outros tipos de câncer.

      Excluir
  67. Ativador de hcg:
    https://www.biovea.com/br/mobile/product_detail.aspx?NAME=GOTAS-DE-HCG-ACTIVATOR-60ml&PID=3275&OS=244&cid=0&scid=0&deptid=0&attributechanged=true&all=#

    Você poderia dar uma olhada na composição? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Esse ativador de hCG é apenas uma combinação de compostos e nutrientes que supostamente contribuem para a lipólise, ou seja, para a mobilização de gordura do tecido adiposo para que esta seja utilizada como fonte de energia, pelas células do corpo.

      No entanto, por mais que cada um desses componentes contribua de alguma forma para o emagrecimento, o efeito individual, ou coletivo, dessas substâncias ainda seria muito pequeno.

      Por isso, é pouco provável que essa suplementação tenha uma contribuição minimamente significativa para o emagrecimento. O efeito de um bom plano alimentar, adequado às necessidades individuais da pessoa, seria muito superior.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Considerando as substâncias descritas no produto, seria pouco provável que elas teriam induzido o desenvolvimento do nódulo. Até porque o crescimento de nódulos demora um certo tempo pra acontecer Por outro lado, se o produto for "contaminado" com hCG ou outros compostos, a possibilidade talvez seja um pouco maior.

      Na UnB tem um laboratório de análise de alimentos, na Faculdade de Agronomia. Porém, acredito que eles fazem basicamente análise de nutrientes, e não de outras substâncias. Mas talvez não custa tentar.

      Excluir
  68. Olá! No Homem, o HCG é utilizado para tratamento de hipogonadismo estimulando o retorno da producao endogena de testosterona. Ainda, o HCG tambem vem sendo utilizados por atletas fisiculturistas profissionais durante o ciclo de modulacao hormonal como uma TPC intra ciclo, a fim de estimular a nao inibicao do eixo HPT mesmo durante o uso de hormonios. Daí, surge o questionamento, em homens saudaveis, mas que não estao produzindo (e nunca produzirão) 100% da capacidade de seu corpo de testosterona, que passem a administrar o HCG, havera uma elevacao da producao endogena natural de testosterona e, com isso, todos os beneficios relacionados ao aumento de massa magra e redução de massa gorda durante um programa alimentar decente (nao a loucura doa 500kcal) e um treino acompanhado por profissional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Humberto.

      O hCG realmente é capaz de levar ao aumento nos níveis de testosterona em homens com hipogonadismo, e esse aumento muitas vezes leva a melhoras em desfechos clínicos nesses pacientes -- o que é muito interessante.

      E esses dados nos levam a pensar justamente sobre o que você falou: será que haveria um aumento de testosterona também em homens com níveis normais desse hormônio? Se sim, será que isso poderia levar ao ganho de massa muscular, desde que aliado a alimentação e treino adequados?

      É uma possibilidade bem plausível, mas que não pode ser diretamente respondida porque não existem estudos que testaram essa hipótese. No entanto, pensando pelo ponto de vista fisiológico, eu diria que não é muito grande a probabilidade de o hCG levar ao ganho de massa muscular em pessoas saudáveis (mesmo elevando um pouco os níveis de testosterona).

      Isso poderia ser explicado porque o hCG, nesse caso, atua no sentido de regular uma via hormonal que está desregulada, e não simplesmente por aumentar os níveis de testosterona (como acontece quando o hormônio exógeno, ou um análogo, é injetado). Ou seja, na ausência de uma via desregulada (homens saudáveis), não teria por que o hCG ter o mesmo efeito observado em homens com hipogonadismo.

      Mesmo que exista um pequeno aumento agudo nos níveis de testosterona, a partir de um estímulo do hCG, o próprio organismo rapidamente regularia a concentração sanguínea do hormônio. Isso acontece porque, assim como para vários outros hormônios, um dos reguladores da produção de testosterona é a própria testosterona. O corpo possui esses mecanismos de feedback negativo para que os hormônios estejam sempre dentro das concentrações desejadas.

      Excluir
  69. Eu fiz a dieta do HCG , os primeiros 4 ou 5 dias são difíceis, pois temos que seguir uma dieta muito rigorosa e da muita vontade de comer o que não pode , depois desses 4 ou 5 dias você consegue contornar e dizer não às coisas boas, fiz a dieta acompanhado por uma nutricionista, nutróloga Deyse Caldeira(pesquise no Facebook) é um cardiologista, perdi em 30 dias de tratamento 16 kg, e o melhor foi que HCG foi a cura de minha obesidade , hoje posso comer a vontade!
    Claro que temos que ter uma vida paralela à esportes , academia , pois tenho 36 anos e não posso relachar !
    O HCG salvou minha vida , pois um amigo não poderia comprar a medicação por conta do alto custo , manteve a dieta de 500 calorias diárias e não obteve o mesmo êxito que eu , claro que emagreceu um pouquinho , mas passou muita fome e já ganhou tudo de novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carlos.

      Se você considera que os resultados foram satisfatórios para o seu caso, ótimo. Cada um tem o direito de tentar o que acha ser o melhor para si, assim como está sujeito a quaisquer que sejam as consequências, boas ou ruins.

      De qualquer maneira, como já falei inúmeras vezes em outros comentários, o que precisa ficar claro é que, mesmo no seu caso, e ainda mais considerando o que a ciência diz sobre o hCG, não é possível afirmar que os resultados observados foram decorrentes do uso do hormônio.

      Excluir
  70. Não sou médica nem nada, mas uma coisa que aconteceu comigo eu posso relatar. Eu engravidei com 65kg. No meu 3º mês eu estava com 54kg. Sendo que antes de engravidar eu estava tentando emagrecer e não conseguia. Eu quase perdi minha filha por causa dos enjoos e falta de fome que estava me dando. E o que o médico me explicou é que esse hormônio queima a gordura do corpo para servir de energia para o feto quando a mãe não está ingerindo energia suficiente. Na realidade o hcg emagrece sim. E isso se dá também pela pouca ingestão que têm de ser feita durante o tratamento. Pois ao comer pouco, o corpo entende que não tem energia o suficiente, e então o hcg queima a gordura reserva do corpo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Melissa.

      Infelizmente a explicação que o seu médico deu, assim como vários outros profissionais dão, sobre o papel do hCG no emagrecimento não possui embasamento científico. Não há estudos, muito menos em seres humanos, mostrando que o hCG "queima a gordura do corpo para servir de energia para o feto quando a mãe não está ingerindo energia suficiente". Isso não quer dizer que o hCG não possa ter esse efeito, mas sim que nunca foi demonstrado cientificamente, e por isso é um fato que não pode ser tomado como verdade.

      Ou seja, quando você afirma "Na realidade o hcg emagrece sim", esse é um exemplo de fala que não se sustenta. A validade desse argumento é igual à de qualquer outra pessoa falando qualquer outra coisa sobre o hCG, caso não haja dados científicos por trás. Ninguém afirma que a droga X é capaz de tratar a doença Y sem razão aparente; uma afirmação como essa só se torna verdadeira quando existem estudos que confirmem a hipótese.

      Mas você tocou num ponto interessante, que na verdade ajuda a mostrar, mesmo que indiretamente, como o hCG parece não contribuir para a redução da fome ou para o emagrecimento. É incontável o número de gestantes que relatam aumento de fome durante a gravidez, assim como o ganho de peso gestacional é a regra, e não a exceção, para as mulheres que carregam bebê. Se o hCG possuísse os supostos efeitos que atribuem a ele, esse cenário prático seria invertido.

      E só mais um detalhe, em relação a sua afirmação "ao comer pouco, o corpo entende que não tem energia o suficiente, e então o hcg queima a gordura reserva do corpo". Nosso organismo não precisa do hCG para fazer isso. Essa é a resposta natural quando a ingestão de energia está abaixo das necessidades do corpo.

      Excluir
  71. João, existem estudos falando bem do hCG assim como existem estudos falando mal. Vc preferiu acreditar nos estudos que falam mal, pois o hCG não é um tratamento que um nutricionista pode passar e sim um médico. Eu entendo vc acrediatar no que pode ser mais favorável a vc. Agora, eu fiz a dieta e vi na prática que ela funciona sim. É humanamente IMPOSSÍVEL alguem ficar 40 dias ingerindo apenas 500 calorias por dia se o hCG não alimentasse a pessoa. Isso me parece muito óbvio. Um abraço irmão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Higor.

      As coisas não são assim do jeito que você falou. Sabe quantos estudos existem mostrando vantagem do tratamento com hCG em relação a tratamentos placebo? Só um estudo, que ainda teve problema de conflitos de interesse.

      Sabe quantos estudos existem que não confirmam superioridade para o hCG? Pelo menos 10.

      Então não é uma questão do que eu quero acreditar, e muito menos do que eu posso ou não fazer como nutricionista em relação a opções de tratamento. Ou seja, nesse quesito, feliz ou infelizmente, na verdade parece que você não entende o que está acontecendo.

      Não só isso: parece que são os médicos que querem acreditar que o hCG faz bem, para que eles possam ter em mãos uma alternativa que, apesar da ciência mostrar o contrário, é atraente para pacientes que querem perder peso rapidamente. E não digo isso dos médicos de maneira geral, porque não tenho nada contra a classe; me refiro apenas àqueles que insistem em prescrever o tratamento, sem justificativa plausível para isso.

      A perda de peso vai acontecer com o hCG? Sim, claro, porque a dieta que acompanha o tratamento é bastante restritiva. O relato individual de qualquer pessoa que faz o tratamento, assim como você, é comparável aos resultados dos estudos? Claro que não, e por um simples motivo: na prática clínica não existe grupo controle para ser comparado à pessoa que está fazendo o tratamento com o hCG.

      Além disso, pode ficar tranquilo porque não é humanamente impossível ficar 40 dias ingerindo apenas 500 kcal. O que é supostamente óbvio para você não é óbvio de verdade. Existem vários estudos em que pacientes obesos ficam meses, e em alguns casos mais de ano, sem comer nada -- em jejum total.

      Seria isso obviamente impossível também?

      Excluir
  72. Acredito que dá mesma forma que " ainda" não existam provas de que o HCG contribua para o emagrecimento, também não existem que pode favorecer ou nutrir o câncer. Sou totalmente leiga, mas sinto arrogância em alguns momentos do titular do blog. Penso que tudo é um processo de descobrimento e ainda pode ocorrer essa prova de eficácia. Só percebi aqui q são refutadas as idéias favoráveis ao uso, mesmo qdo só se tem estudos e resultados clínicos tb. Não senti total coerência. Quanto a falar besteira, qualquer um pode, tanto o Lair Ribeiro (de quem aprecio o trabalho) quanto o titular do blog. Me parece um exercício de auto promoção também. Pois é só verificar os dados estatísticos de atas pessoas morrem por conta da obesidade... ou derivadas desta, como cirurgias, suicídios entre tantos outros. Acredito que se tem feito bem as pessoas, seja por placebo ou não, já torna válido. Dos males o menor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Claudia.

      Na questão de não haver evidencias para a eficácia do hCG no emagrecimento, não é um "ainda", e sim um fato. Só existe um estudo que mostrou benefício, e ele teve problema de conflitos de interesse. Por outro lado, só em língua inglesa (porque existem estudos em outras línguas), são mais de 10 trabalhos mostrando a ausência de benefícios. Tanto é que esse tópico deixou de ser pesquisado pela comunidade científica desde a década de 70.

      Sobre o câncer, realmente não estamos nem perto de confirmar um papel do hCG na promoção ou desenvolvimento da doença. Mas a questão é: por que arriscar? Por que arriscar se existem outras opções que podem levar a excelentes resultados -- no mínimo no sentido de redução do risco de doenças associadas à obesidade, mesmo que todo o sobrepeso não seja eliminado. A questão mais importante é a saúde, e não a estética.

      Quase todo o risco relacionado à obesidade pode ser obtido por uma boa alimentação e por hábitos de vida saudáveis. A perda de peso que a maioria das pessoas almeja não é essencial. Não tenho dados sobre isso, mas grande parte das pessoas que usa o hCG tem como objetivo principal a estética, e não necessariamente a saúde. Uma visão distorcida sobre o foco pode fazer com que a importância do tratamento seja supervalorizada.

      Excluir
  73. As pessoas fazem tantas loucuras para emagrecer que talvez esta não seja realmente a pior. Concordo que uma dieta equilibrada e constante, e um emagrecimento suave e duradouro deveria ser sempre adotado, mas não podemos ser utópicos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia, as pessoas fazem algumas loucuras sim. Mesmo havendo alternativas piores, isso não necessariamente torna o hCG aceitável como tratamento.

      O "menos pior" é melhor do que o "pior", mas continua sendo ruim.

      Excluir
  74. Adorei seu blog, sou nutricionista esportiva e visitarei esta página agora com mais frequência. Parabéns!

    ResponderExcluir
  75. Pessoal, praticamente tudo que tinha para ser falado sobre esse assunto já foi discutido. Se você tiver uma dúvida, ela provavelmente foi respondida em outro comentário. Se necessário, use o Ctrl+F para buscar por palavras-chave referentes ao que você quer saber ou comentar (nesse texto e também no texto "O fantasma do hCG continua vivo").

    Caso queira esclarecer alguma questão que por acaso não tenha sido mencionada por aqui, e que também não tenha sido abordada nos comentários do texto "O fantasma do hCG continua vivo", vá até a página de Contato e me envie um e-mail.

    Obrigado.

    ResponderExcluir